Instant Articles é uma nova forma de consumir notícias no Facebook


Instant Articles facebook

Não foi com surpresa que vimos o Facebook lançar esta quarta-feira uma nova funcionalidade chamada Instant Articles. Na verdade, já tinha surgido o rumor de que a rede social estaria interessada em alojar algum conteúdo de órgãos de comunicação social como o The New York Times, o BuzzFeed ou National Geographic, tornando o consumo de notícias no telemóvel mais fácil e imediato.

Os Instant Articles são artigos que são alojados pelo próprio Facebook e que, assim, carregam mais rapidamente nos telemóveis dos utilizadores. Mas, conforme explica o gestor de produto Michael Reckhow numa publicação no seu blogue, os Instant Articles são mais que isso: são artigos que oferecem uma experiência interactiva de leitura.

Na verdade, a ferramenta vem com possibilidades interactivas que permitem “dar vida às histórias em novas formas”. Ou seja, com os Instant Articles, os órgãos de comunicação social podem embrulhar os seus conteúdos de diferentes formas, embrulhando também o leitor no consumo dos mesmos. Este pode fazer zoom e explorar fotos de alta resolução, ver vídeos que arrancam automaticamente à medida que se faz scroll, e ainda explorar mapas interactivos, ouvir sons, e até fazer o habitual like ou comentário em partes específicas do artigo.

fbinstantarticles_02

fbinstantarticles_03

“Os nossos utilizadores partilham muitos artigos no Facebook, principalmente através da aplicação para smartphones”, refere. De acordo com Michael Reckhow, este conteúdo demora, actualmente, oito segundos carregar na timeline, e portanto é o mais lento de aceder. Os Instant Articles carregam 10 vezes mais rápido, em comparação com artigos abertos em navegadores web.

“Nós desenhamos o Instant Articles para dar controlo sobre as histórias aos editores”, explica Reckhow. A funcionalidade prevê que haja publicidade paga nos artigos, sendo as receitas repartidas entre o Facebook e os órgãos de comunicação social. Para além disso, as empresas podem analisar os dados estatísticos e actuar consoante os resultados que obterem.

Para já o Facebook está a experimentar o Instant Articles com o The New York Times, o National Geographic, o BuzzFeed, a NBC, o The Atlantic, o The Guardian, a BBC News e o Spiegel e Bild. O presidente e director executivo do The New York Times, Mark Thompson, revela que o jornal “vai participar no Instant Articles para explorar formas de aumentar o números de utilizadores do Facebook que têm contacto com o Times, assim como melhorar a experiência dos utilizadores com o jornalismo”.

Podes experimentar os Instant Articles na app do Facebook para iPhone com um conjunto de peças especiais da autoria do The New York Times, BuzzFeed, National Geographic, NBC e The Atlantic.

O Instant Articles foi um produto desenvolvimento com o que o Facebook aprendeu ao longo deste último ano com a app Facebook Paper. Tal como a app Facebook Camera serviu para o Facebook perceber as fotos e os filtros, o Paper foi, acima de tudo, um teste para a empresa saber como tratar os artigos/notícias.

Uma internet paralela chamada Facebook

O Instant Articles é uma ideia brutal, mas que nos deixa inevitavelmente assustados. De facto, com este novo produto, o Facebook reforça os seus poderes no que toca à distribuição online de conteúdo e à gestão de tráfego, correndo o risco de se tornar o monopolista da Internet.

Não esquecer que o Facebook já controla as imagens e os vídeos que publicamos na rede social. Controla, também, o algoritmo que determina o que aparece no News Feed e a ordem por que aparece.

Quanto mais poder dermos ao Facebook, mais próximo do monopólio este fica, impondo regras e exigindo receitas para si.

Todavia, o Instant Articles não é uma abordagem muito diferente daquela que vemos acontecer em outros canais social. Muitos órgãos de comunicação social, por exemplo, usam o Twitter para dar notícias de última hora – simples tweets que são só tweets, não têm link para qualquer website. Outros recorrem ao Snapchat para partilhar conteúdo exclusivo, disponível apenas dentro da app. Há ainda o Periscope ou o Meerkat para live stream de vídeo, o Instagram e outros exemplos de apps que estão a fazer os órgãos de comunicação social saírem dos seus websites. Até a tradicional newsletter é um produto que pode ser consumido só no e-mail.

fbinstantarticles_04

O produto Instant Articles está de tal forma bem construído que, no desktop, o artigo aparece como se de um artigo “normal” se tratasse. Toda a experiência interactiva é possível apenas dentro da app iOS do Facebook (brevemente também no Android).

Podes saber mais sobre o Instant Articles em instantarticles.fb.com.

(Mário Rui André contribuiu neste artigo)