Microsoft investe em projectos de cabos submarinos


Este artigo é gratuito como todos os artigos no Shifter.
Se consideras apoiar o nosso trabalho, contribui aqui.

A gigante americana Microsoft anunciou uma parceria com diferentes empresas e consórcios internacionais para a construção de novos cabos submarinos.

A companhia irá, num primeiro momento, unir-se a uma associação de empresas de telecomunicações com fim à construção de um cabo submarino que cruze o Pacífico. O cabo irá ligar uma série de pontos chave, como é o caso da China, Coreia do Sul, EUA, Taiwan e Japão. A Microsoft diz que o New Cross Pacific (NCP) servirá sobretudo para fornecer ligações mais rápidas aos seus consumidores, e tornará o serviço e preço da sua cloud mais competitivo.

AEC-OverviewMap

A Microsoft anunciou também o seu acordo com a Hibernia. Aqui, o objectivo é oferecer uma ligação mais rápida entre o Canadá, a Irlanda e o Reino Unido, para isso surgirá o cabo AEConnect. O novo cabo submarino ligará Shirley, Nova York e a costa este da Irlanda (é daqui que partirá a ligação com o Reino Unido).

O cabo transatlântico da Hibernia Express será o primeiro em 12 anos e será lançado em Setembro deste ano. Está optimizado para realizar operações de mínima interferência (a promessa é ambiciosa, menos de 60 milésimos de segundo entre Nova York e Londres) e está também preparado para suportar 10 TbPS (terabytes por segundo) quando estiver em pleno funcionamento. A Microsoft é o primeiro cliente do cabo AEConnecte, que custará cerca de 270 milhões de euros. O empreendimento deverá estimular a expansão da plataforma online da Microsoft pela Europa.

De acordo com a própria Microsoft, os projetos servem especificamente para conectar  a infra-estrutura da marca, de maneira eficaz, a outros continentes. “Os cabos ajudarão a fornecer dados a velocidades mais elevadas e com maior capacidade a todos os nossos clientes espalhados pelo mundo”, escreveu David Crewley, director geral de network da Microsoft. Crewley adiantou: “Tanto as pessoas como as organizações esperam dados e informações imediatos, na ponta dos dedos, para respondermos a esta necessidade devemos ter uma infra-estrutura capaz de entregar serviços através da cloud e capaz de apoiar os nossos cliente nos seus negócios globais.”

Sem fornecer quaisquer detalhes adicionais o director-geral disse ainda: “A Microsoft tem vindo a investir significativamente em tecnologia submarina e em capacidade terrestre de fibra. Temo-nos aliado em diferentes parcerias que abrangem vários oceanos e continentes.”

No entanto, a Microsoft não está sozinha. Marcas concorrentes estão a apostar de modo semelhante e a fazer update às suas infraestruturas. A gigante Google, por exemplo, acaba de investir 300 milhões de dólares num sistema de cabo que liga diretamente os EUA com o Japão.

Investimos diariamente em artigos como este.
Precisamos do teu investimento para poder continuar.