Os anos não passaram pelos X-Wife


 
O Shifter precisa de dinheiro para sobreviver.
Se achas importante o que fazemos, contribui aqui.

Em 2004, o João Vieira, o Fernando Sousa e o Rui Maia juntaram-se para fazer rock, mais electrónico, por vezes mais cru. Editaram, desde então, quatro discos (o último deles – Infectious Affectional – chegou em 2011) e levaram a sua música para lá das fronteiras do nosso país e do nosso continente.

Os últimos anos foram de pausa. Uma pausa nos X-Wife, mas não na carreira musical dos seus elementos. O João Vieira e o Rui Maia editaram álbuns de estreia com White Haus e Mirror People, e o Fernando Sousa juntou-se aos projectos Best Youth, There Must Be a Place e ainda PZ.

A banda do Porto está agora de regresso. Neste 2015, sem promessa de novo álbum, os X-Wife apresentam-nos o single “Movin’ up”. Os anos podem ter passado os X-Wife podem ter crescido, mas o indie rock de”Movin’ up” ainda vive na década passada – e não dizemos isto de forma negativa. Energético, o novo single dos X-Wife não é perfeito, mas é uma excelente porta de entrada para um disco que, olhando para o percurso da banda e dos seus integrantes, promete agitar pistas de dança.

A faixa está, a partir de hoje, disponível nas plataformas digitais de venda e streaming, como o iTunes e o Spotify. Vai ser apresentado no próximo Vodafone Paredes de Coura!

xwiferegresso15_movingup

Se não conseguirmos aumentar o número de patronos, a 2ª edição da revista será a última, e o Shifter como o conheces terminará no final de Dezembro. O teu apoio é fundamental!