O Android M chegou


Este artigo é gratuito como todos os artigos no Shifter.
Se consideras apoiar o nosso trabalho, contribui aqui.

No ano passado, por esta altura, a Google envolveu os programadores no desenvolvimento do seu novo sistema operativo quando divulgou o Android L – uma versão beta destinada aos app makers, para que estes dessem feedback e fizessem os seus testes antes do lançamento final, no Outono. A experiência parece ter corrido bem e, por isso, volta a repetir-se: dêem as boas-vindas ao Android M.

Se este tipo de processo tira um pouco do suspense que envolve o lançamento de uma nova versão do Android, a verdade é que, quando isso acontece, já está tudo mais bem preparado para a sua chegada. E quem beneficia é sempre o utilizador final. As primeiras imagens da nova versão do sistema foram apresentadas esta quinta-feira, em São Francisco, durante o Google I/O.
androidm

Pode dizer-se que o Android M não é bem uma revolução, mas sim uma evolução. Se o Android L (depois Lollipop) trouxe um redesign completo à luz da linguagem Material Design, no Android M (só sabemos o nome no Outono), as alterações visuais não são muitas, mas milhares de bugs foram já corrigidos e há novas funcionalidades.

Permissões simplificadas

Uma delas tem a ver com as permissões. Até agora, o programador apenas se tinha de preocupar em pedir permissões no momento da instalação da app, mas esse tipo de controlo vai ser bastante mais personalizado pelo utilizador. As permissões podem agora ser negadas ou aceites uma a uma nas definições, bem como na própria hora em que são necessárias.

Na prática, as permissões no Android passarão a ser muito ao estilo do iOS. Se, por exemplo, instalares o WhatsApp e precisares de mandar uma mensagem de voz, vais ter de permitir que a app aceda ao microfone do teu telemóvel. Uma vez feito, não vais ter de dar permissão sempre que mandas uma mensagem de voz. Nas definições do WhatsApp, podes remover manualmente e, uma a uma, as permissões que deste à app.

androidm_apppermissions

O Chrome dentro de apps

No teu telemóvel Android tens o Chrome para navegar na web, mas também podes fazê-lo dentro de outras apps. Na verdade, há inúmeras apps (o Facebook e o Pinterest são apenas dois exemplos) que têm mini-browsers internos, permitindo visualizar links externos sem abrir o Chrome. Isso é, definitivamente, uma vantagem: perdemos muito menos tempo que se tivéssemos de saltar entre apps só para ver o que diz um link.

Todavia, quando usamos browsers dentro de apps, as passwords e os outros dados que estão guardados no Chrome não estão acessíveis – o que é chato. Mas a Google vai resolver isso no Android M com uma coisa chamada Chrome Custom Tabs.

androidm_chromecustomtabs

Isso significa que quando clicas num link para um site qualquer numa dada app, o link vai abrir num separador personalizado que parece pertencer à app que estás a usar, mas que é do Chrome. Dessa forma, não precisarás de digitar passwords, nem de introduzir outros dados se já o fizeste pelo menos uma vez no Chrome.

Uma bateria mais duradoura

A bateria também não fugiu às preocupações e a funcionalidade Doze chegou para fazer uma nova gestão de energia: quando detectar que o smartphone está inativo há bastante tempo, vai desactivar automaticamente algumas funções que não estejam a ser necessárias.

A Google diz que o Doze pode permitir poupanças na ordem dos 50%, como comprovou através de um teste, que divulgou na conferência, feito com dois Nexus 9 – um deles com Android Lollipop, o outro com Android M.

O suporte ao USB Type-C foi também anunciado.

androidm_typec

Leitores de impressão digital

O Android M vai incluir suporte para leitores de impressão digital. Apesar de algumas fabricantes como a Samsung já incluírem essa tecnologia nos seus equipamentos, ela não é nativamente suportada pelo Android: tem de ser criada pelos programadores da Samsung em cima do sistema operativo da Google.

No entanto, com o Android M, a Google desenvolveu suporte para a impressão digital, permitindo o uso da mesma para pagamentos com o Android Pay, para autenticação de compras via Google Play e para desbloquear o telemóvel.

Now on Tap

Por fim, a Now on Tap, talvez uma das features mais incríveis. Quer seja na troca de mensagens, de e-mails ou até mesmo no Facebook, é possível aceder a informações sobre aquilo que estiveres a falar com os teus amigos. Se eles te dizem algo como “Vamos ver o Tomorrowland este noite?”, o telemóvel tem conhecimento sobre o que estás a falar e disponibiliza-te informações sobre o filme (trailer, atores,…) à distância de um toque.

É como se tivesses um motor de busca dentro de cada app.

androidm_nowontap

Datas

O Android M fica disponível a partir de hoje para os programadores. Enquanto esperas pelo lançamento público no Outono, desafiamos-te a tentar adivinhar qual vai ser afinal o significado para o “M”…

Investimos diariamente em artigos como este.
Precisamos do teu investimento para poder continuar.