O perigo de avançar rápido demais num video do YouTube


É bem provável que todos nós já nos tenhamos aborrecido com o tempo que temos que esperar até que se atinja o clímax de um vídeo de YouTube. Uma queda, uma explosão, aquele skill que nos vai deixar de boca aberta ou um acidente incrível, tudo é motivo para o clique naquele thumbnail com um título chamativo que chega a despertar em nós aquela momentânea sensação de suspense quase Hitchcockiano. Não nos custará também admitir que grande parte destas esperas acabam com uma sensação de desilusão, acompanhadas muitas vezes de um “era só isto?”.

Foi a pensar nisso que o YouTube, há já algum tempo, nos deu a oportunidade de navegar na timeline dos vídeos, com recurso a um preview da acção, permitindo assim que poupemos o nosso precioso tempo e avancemos directamente para o momento que realmente nos levou até ali. E foi a pensar em todos os que o fazem que a BBDO Rússia resolveu criar esta campanha para a companhia de seguros Intouch.

Os 10 minutos de vídeo não mostram mais do que uma câmara colocada no tablier de um carro, que filma uma viagem aparentemente normal. Estas dash-cams são famosas no leste da Europa, em especial na Rússia, pela quantidade de fenómenos que registam. Começaram por ser usadas como recurso para os automobilistas se defenderem dos peões que simulavam atropelamentos, mas rapidamente se tornaram numa das maiores fontes de vídeos de acidentes de viação, desde os mais estúpidos aos mais espectaculares. E é exactamente isso que torna este vídeo tão apetecível para os fãs destes fenómenos.

Ora, 10 minutos será sempre imenso tempo para ver aquilo que o título promete como o “most terrible fatal car crash ever”. (Caso tenhas faltado a mais aulas de inglês do que aquelas que devias, a tradução livre será algo como “o mais terrível e fatal acidente de carro de sempre”). Neste caso, e precisamente por ser um vídeo tão longo, a pré-visualização acabará por ser uma ajuda essencial para descobrir o momento do embate.

dontrushintouch_02

Enquanto muitos poderão optar por ir avançando aleatoriamente no vídeo, os que resolverem centrar a atenção no rectângulo de preview que nos aparece por cima da timeline acabarão por ver um desenrolar bem diferente dos acontecimentos. Ao contrário do passeio monótono do vídeo “normal”, se passarmos o cursor do rato rapidamente pela timeline podemos ver efectivamente um choque frontal com um camião.

O prometido acidente está lá mas, ao contrário dos que optarem por ver o vídeo “à velocidade normal”, só será visto pelos “mais apressados”. “Don’t Rush” é o disclamer final que fecha a ideia de forma simples. Pretty clever, hum?

dontrushintouch_03

Este trabalho da BBDO Russia é mais um exemplo da utilização das ferramentas web por parte dos criativos de todo o mundo. Por mais que os meios e formatos clássicos de comunicação e publicidade continuem a funcionar e a ser diariamente reinventados, é inegável que os novos recursos alargam ainda mais o universo da criatividade, abrindo constantemente espaço a novas e boas ideias.