Uma televisão da Apple? Esquece


 
O Shifter precisa de dinheiro para sobreviver.
Se achas importante o que fazemos, contribui aqui.

Durante os últimos anos, especulou-se sobre se a Apple iria apresentar ou não uma televisão numa das suas keynotes. Agora surgem detalhes de que a empresa ponderou de facto desenvolver uma televisão, mas decidiu abandonar o projecto por não conseguir criar um produto demasiado diferenciador da concorrência.

Quem o diz é o Wall Street Journal, adiantando ainda que o abandono do projecto aconteceu há mais de um ano. Segundo o jornal, a Apple considerou incluir uma câmara na na sua televisão 4K para video-chamadas via FaceTime. A empresa também experimentou ecrãs transparentes com tecnologia laser em meados de 2000, antes de concluir que os custos de produção eram demasiado elevados e a qualidade de imagem prejudicada.

Faz sentido a Apple não entrar no negócio do fabrico de televisões. É um mercado agressivo, onde existe muita concorrência. Marcas como a Sony, a Panasonic, a Samsung ou a LG têm apresentado produtos muito bons nos últimos anos, com tecnologia avançada e diferenciadora. São empresas que já andam nisto das televisões há alguns anos e que já têm a sua quota de mercado estabelecida.

A Apple sabe fazer computadores, tablets, telemóveis e agora relógios. Sabe desenvolver software como ninguém e criar serviços de cloud que funcionam inteligentemente. A Apple TV é a melhor forma de a gigante de Cupertino levar os seus produtos para o grande ecrã da sala.

O Wall Street Journal reforça que a Apple vai apresentar neste WWDC, dia 8 de Junho, uma nova e redesenhada Apple TV, mais fina e com um novo comando remoto, que estreará uma nova interface e um serviço de Internet TV.

2015 vai ser finalmente o ano da televisão para a Apple. Mas sem televisão.

Se não conseguirmos aumentar o número de patronos, a 2ª edição da revista será a última, e o Shifter como o conheces terminará no final de Dezembro. O teu apoio é fundamental!