Wayne Coyne, dos Flaming Lips, e Miley Cyrus gravaram um álbum que soa a Pink Floyd e Portishead


Depois de terem trabalhado em conjunto no álbum de versões dos Beatles With A Little Help From My Fwends, lançado pelos Flaming Lips em Outubro do ano passado, Wayne Coyne, o frontman da banda de rock/pop psicadélico, e Miley Cyrus gravaram juntos sete músicas para um álbum que está pronto a ser lançado.

Apesar de esta colaboração parecer improvável, a boa relação entre os dois músicos não é algo novo. Wayne já teceu inclusive vários elogios a Miley Cyrus no passado. O cantor contou ao The Guardian que a admira por ser “muito verdadeira e alguém energético e louco com quem passar o tempo”, admitindo ainda que ambos tinham feito tatuagens a condizer.

O novo álbum foi gravado entre Oklahoma, no estúdio dos Flaming Lips, e Los Angeles, na casa da cantora, onde esta possui um pequeno home studio, onde, para além de cantar, também assume os controlos à frente do computador. “A Miley senta-se na secretária a misturar e a equalizar as suas próprias vozes. É mesmo punk rock!”, afirma Wayne.

Ainda sem nome, o novo álbum, para o frontman dos Flaming Lips, “soa a pop, mas numa versão mais triste, sábia e verdadeira”, afirmando ainda que lhe faz lembrar Pink Floyd e Portishead.