10 coisas para fazer no NOS Primavera Sound


Este artigo é gratuito como todos os artigos no Shifter.
Se consideras apoiar o nosso trabalho, contribui aqui.

Finalmente, um ano depois, podemos dizê-lo novamente: o Primavera está de volta ao Porto. Apesar do cartaz não estar ao nível das edições anteriores, não deixa de ser bom poder voltar ao Parque da Cidade para mais três dias de concertos.

O irmão mais velho da edição portuguesa realizou-se em Barcelona entre 27 e 30 de Maio e ler as reportagens que foram feitas dá-nos pistas sobre aquilo que não podemos perder cá. Apesar do cartaz não ser exactamente o mesmo — Black Keys, Strokes ou Tyler, The Creator são exemplos de artistas que marcaram presença em Espanha sem passarem por Portugal — os relatos foram tidos em conta nesta lista.

Uma lista que também teve como base os gostos mais puros (e inconsequentes) da redacção do Shifter que, infelizmente, nem sempre se coadunam com a programação do festival.  No entanto, e porque o Primavera Sound não se resume apenas aos concertos, a edição portuguesa também tem outros trunfos. Assim, deixamos aqui as nossas dez sugestões daquilo que não podes mesmo deixar de fazer neste NOS Primavera Sound.

Se ainda não tens alojamento ou até bilhete… a Get a Fest ainda tem packs de alojamento com ou sem bilhete.

1 – Assistir ao concerto de FKA Twigs

O primeiro dia de festival parece reunir a maioria das nossas escolhas. Tahliah Debrett Barnett, ou FKA Twigs, teve um dos álbuns mais badalados de 2014. “Two Weeks” é daqueles singles que já ouviste de certeza e vai ser apresentado ao vivo pela primeira vez em Portugal logo na quinta-feira. Espera-se que o concerto comprove a ascensão quase meteórica da britânica e dê a conhecer melhor o seu álbum de estreia LP1. O pop eletrónico de FKA Twigs vai inundar o Palco Super Bock por volta das 21 horas, hora em que esperamos que os concertos de Mac DeMarco e de Patti Smith em versão acústica já tenham terminado nos outros palcos…

2 – Ouvir Run The Jewels

El-P e Killer Mike, o duo que forma Run the Jewels, já vai dispensando introduções depois de dois anos intensos. Depois de dois álbuns homónimos e do anúncio do terceiro disco para 2016, os norte-americanos chegam ao Porto naquela que vai ser a terceira data da sua tour. E se ouvir hip hop actual com a raça doutros tempos é motivo mais que suficiente para ansiar por Run the Jewels, o poster de promoção da tour recém lançado é o kick perfeito para aquele que promete ser um bom momento de hip hop no NOS Primavera Sound.

oquefazernps15_rtj

3 – Celebrar os 40 anos de Horses

Considerado um dos álbuns mais importantes de rock de sempre e um dos impulsionadores do movimento punk dos anos 70, o álbum de estreia de Patti Smith celebra este ano quatro décadas de existência. Foi o primeiro concerto confirmado nesta edição e talvez seja o mais aguardado. Esta será a terceira vez que a cantautora se apresenta em Portugal, tendo já passado pelo Coliseu de Lisboa em Outubro de 2007 e pelo festival Número em 2001. Desta vez, Smith deixa-nos revisitar Horses  acompanhada por dois elementos originais da banda de 1975, Lenny Kaye e Jay Dee Daugherty, além do do baixista Tony Shanahan. O espetáculo está marcado para dia 5 Às 19 horas. Ah, e o álbum será tocado na íntegra. Não é preciso dizer mais nada.

4 – Ver Ride ao vivo

É inadmissível ir ao NOS Primavera Sound e não ver Ride. Ressurrectos e em óptima forma (o concerto em Barcelona foi no mínimo avassalador), os pioneiros do shoegaze prometem, tal como os compatriotas Slowdive fizeram no ano passado, levar-nos numa trip down memory lane emocional, mas com uma sensação de despedida quase garantida. Perder este concerto — ainda por cima para ver Shellac ou KVB — é arriscar nunca mais ouvir ao vivo as distorções e retorções sónicas de Andy Bell e Mark Gardener – guitarristas incontornáveis do início dos anos 90 – que continuam deliciosas de se ouvir “no prego”, como sempre nos habituaram. Um concerto para contar aos netos, prevê-se.

5 – (Re)ver Mac Demarco

Bem sabemos que a geração internet se tem afastado gradualmente de Mac DeMarco. “Em Dezembro era porreiro, agora é só repetitivo” – será o que muitos de vós pensarão. E alguma razão hão de ter: entretanto só ouvimos uma música nova (“The Way You’d Love Her”) e mesmo assim ainda não anda a ser rodada ao vivo. Mas desengane-se quem acha o concerto do Mac DeMarco poderá ser mais enfadonho do que uma sessão de spoken word da Patti Smith. Se em Barcelona Mac se lançou a uma cover da “Yellow” dos Coldplay e apareceu agarrado a Anthony Kiedis, alguma surpresa há certamente de ter guardada para nós. Espera-se crowdsurf, canções sem barba para pessoas com barba e a dose habitual de stand-up comedy do imberbe mais desejado dos últimos anos. Vai ser porreiro. Muito porreiro.

oquefazernps15_macdemarco

6 – Passear no Porto

Se há coisa em que os produtores do Primavera Sound acertaram em cheio quando trouxeram o festival para Portugal foi na sua localização. Para além do Parque da Cidade ser um excelente palco para os concertos, este festival faz todo o sentido no Porto. E o centro da cidade está apenas a 10 minutos de metro. Quem diz passear diz comer e aproveitar as iguarias que o norte do país tem para oferecer. Porque ouvir música é sempre melhor de barriga cheia, são de aproveitar os espaços de restauração no recinto do festival ou de partir à aventura pelo mundo das francesinhas e rezar para que corra tudo bem com o nosso sistema digestivo.

oquefazernps15_porto

7 – Ver o Manel Cruz a jogar em casa

O músico vocalista dos Ornatos Violeta tem concerto marcado para o último dia do festival. Num momento de intervalo entre os seus vários projectos, Manel Cruz tem preparado um concerto com uma setlist que revisita toda a sua carreira. O espectáculo é assinado pelo seu novo projecto – “Estação de Serviço” – mas vais poder matar saudades das canções dos Ornatos, Pluto, Supernada ou Foge Foge Bandido pela alma e voz do seu mentor. O concerto está marcado para as 17h30 de sábado, dia 6, e corre o boato de que haverá convidados surpresa e que podem ser apresentadas novas músicas.

oquefazernps15_manelcruz

8 – Ir à praia em Matosinhos

Nesta sugestão damo-vos duas boas notícias. A primeira é que, durante os três dias de festival, as máximas vão atingir os 30 graus. A segunda é que a praia de Matosinhos fica (literalmente)  a um minuto a pé do recinto. Com os primeiros concertos do dia marcados para as 18 horas, há sempre tempo para ir dar um mergulho antes. Há várias praias à escolha, umas mais recatadas outras ideais para os amantes de surf ou bodyboard. Duas coisas são certas: a água fria do mar e a qualidade do marisco nos restaurantes junto às praias.

oquefazernps15_praia

9 – Ver Patti Smith ao vivo duas vezes no mesmo fim-de-semana

Para além de tocar Horses, a cantora irá dar outro concerto, desta vez em formato acústico e spoken word. Desta forma que a cantora e compositora mostra também a sua veia de escritora, activista e feminista com protestos melódicos que prometem proporcionar um encontro entre gerações. A actuação acontece no Palco Pitchfork às 20 horas de quinta-feira. A oportunidade de ver Patti Smith numa versão mais intimista colide com o concerto de Mac DeMarco que, à mesma hora, toca no Palco NOS. Sugerimos uma corridinha entre palcos só para não ter que escolher entre um ou outro.

oquefazernps15_pattismith

10 – Aquecer para o festival com o Primavera nas Fontaínhas

A welcome party do NOS Primavera Sound leva às Fontaínhas Cícero e Regula. É já esta quarta-feira, dia 3. O espectáculo começa às 18 horas e é GRATUITO. O evento começa com o concerto do carioca Cícero que lançou este ano o seu terceiro álbum A Praia. Segue-se o hip-hop de Regula, que deve apresentar o seu novo álbum Casca Grossa. Das 17 horas à meia-noite será também possível trocar o passe geral pela respectiva pulseira e cartão de acesso ao recinto.

(texto: João Ribeiro, Henrique Mota Lourenço, Guilherme Correia e Rita Pinto; fotos: Hugo Lima / Flickr / Flickr / Flickr)

Investimos diariamente em artigos como este.
Precisamos do teu investimento para poder continuar.