Arcade Thumb: Quando o Tetris e o Candy Crush se encontram


O mais recente estúdio de jogos lisboeta é provavelmente o mais pequeno do mundo. Chama-se Arcade Thumb e foi fundado por Gonçalo Henriques e Mariana Fernandes, como resultado do gosto deste jovem casal de namorados por jogos.

“Não queremos ser a próxima Coca-Cola no deserto, o próximo maior estúdio do mundo. Fazemos isto por gosto”, contou-nos Gonçalo. Lisboeta, de 31 anos, já se tinha aventurado no mundo dos jogos com uma start-up, em 2013, que “não correu bem”. É precisamente experimentando e correndo riscos que se evolui e Gonçalo não esconde que a Mobigeek Studios – a tal start-up (que esteve incubada na Startup Lisboa) – foi importante neste processo de aprendizagem.

A Arcade Thumb é a segunda tentativa de Gonçalo, desta vez em conjunto com a sua namorada. Uma equipa de programação e design que, no desenvolvimento do seu primeiro produto – um jogo chamado Colortrix – teve uma grande preocupação: ser jogável por daltónicos. “A questão das cores e os detalhes das peças foram pensados com muito cuidado”, contou Gonçalo. “Eu sou daltónico. Sou mesmo muito daltónico. Tenho dificuldade em escolher a roupa e esse tipo de coisas.”

colortrix_02

Mas o ponto de partida para o Colortrix não foi criar um “Tetris para daltónicos”. Aliás, o jovem programador e a sua parceira ficaram surpreendidos quando o seu produto foi comparado ao popular jogo dos anos 1980 e também ao Candy Crush. Uma comparação inevitável, que os fundadores interpretaram como “um grande elogio”.

Gonçalo diz-nos que começou a “olhar para o que havia nas lojas, o que era fácil de jogar, e perceber quais eram as tendências”. “Aquilo ficou a marinar na minha cabeça e depois um dia às três da manhã acordei com a ideia”, conta. Para trás, já existia um longo historial de tentar convencer a namorada a fazerem, juntos, um jogo.

O ambiente visual do Colortrix transporta-nos de imediato para o tempo dos jogos pixelizados e máquinas de jogos. Gonçalo revelou que a inspiração veio do jogo FEZ, por ser também em 8-bits e com muitos efeitos 3D.

O Colortrix é simples de jogar, mas que vai tornando-se complicado à medida que o vício aumenta. Para jogar, só temos de tocar ou deslizar o dedo no ecrã para combinar as nossas peças com as peças da torre e, assim, fazê-las desaparecer. Quando finalmente conseguimos, o jogo recomeça, mas em modo mais rápido.

O Colortrix está disponível para iOS (versão Android está quase). É gratuito, suportado por publicidade dentro da app. Num futuro próximo, existirá uma versão para telemóveis Windows, até porque a Arcade Thumb conta com o apoio da Microsoft.

Autores: João Miguel Dordio e Mário Rui André