O Chromecast vai ser uma espécie de consola de jogos


O Chromecast tem sido um produto fantástico para a Google, com a empresa a vender 17 milhões de unidades desde o seu lançamento em 2013 e com o botão Cast a ser pressionado mais de 1,5 mil milhões de vezes nos Estados Unidos.

O Chromecast é uma pequena pen HDMI que custa 35 euros e que ligas a uma televisão para fazer streaming de conteúdos vídeo ou audio a partir de um telemóvel/tablet ou mesmo de um computador.

Ao longo do tempo, o Chromecast sido melhorado. No último I/O, a Google anunciou o lançamento de novas APIs para os programadores criarem novas e incríveis experiências com o produto. As novidades centram-se sobretudo no gaming: vão surgir jogos que, com o Chromecast, podem ser jogados em multiplayer no ecrã da TV, usando o telemóvel como comando.

Com as APIs de Cast Remote Display, os programadores podem criar experiências de segundo ecrã na TV. Isto é algo muito interessante para jogos de corrida de carros, por exemplo, em que podes ter o jogo no grande ecrã e usar o telemóvel como volante.

Estas APIs podem ser interessantes também para produtividade. Basta ligar o Chromecast a um ecrã externo e usar um tablet Android como mesa de trabalho, evitando-se o uso de um computador.

A Google lançou ainda APIs de Game Manager, permitindo aos programadores criar jogos multiplayer. Já estamos a imaginar um jogo de acção estilo Call Of Duty a ser jogado por duas pessoas, cada uma com um telemóvel na mão, usando a televisão como plataforma comum.

As novas APIs vão estar disponíveis não só para o Chromecast, como para outros dispositivos com a funcionalidade Google Cast. É o caso do Nexus Player.

Note-se que esta experiência de gaming usando um telemóvel e uma televisão já é possível com a tecnologia AirPlay da Apple e com a set-top box Apple TV. Todavia, poucos são os jogos que tiram partido da experiência multiplayer e multi-screen. A diferença do AirPlay para o Google Cast é que este último é compatível quer com Android, quer com iOS.