Cinema e música nas noites do Curtas Vila do Conde 2015


A programação do 23º Curtas Vila do Conde, que decorre entre 4 e 12 de Julho, foi anunciada ontem em conferência de imprensa. Entre os destaques desta edição estão a antestreia nacional de As Mil e Uma Noites, com a presença de Miguel Gomes em Vila do Conde; o filme-concerto dos norte-americanos Lambchop; a retrospetiva dedicada ao francês Quentin Dupieux; e a antestreia mundial de cinco produções do festival.

As Mil e Uma Noites, de Miguel Gomes, é um dos filmes mais aguardados do ano. A obra épica, dividida em três volumes, estreou com grande sucesso na Quinzena dos Realizadores do Festival de Cannes, conquistando imediatamente a crítica. Espécie de fresco sobre o Portugal contemporâneo, o filme analisa o período recente da crise financeira e social que atravessou o país, ficcionando episódios resgatados nas notícias. O realizador Miguel Gomes, a equipa técnica, os actores e os participantes de vários pontos do país, estarão presentes em Vila do Conde para a antestreia nacional do filme.

Ao longo dos últimos anos, a secção Stereo do Curtas Vila do Conde tem oferecido uma variedade de espetáculos em que o cinema é reinterpretado por músicos e bandas em filmes-concerto tocados ao vivo. Esta secção proporciona uma oportunidade dupla: de ver filmes que são resgatados (muitas vezes clássicos do cinema mudo, mas também filmes de vanguarda), com composições originais que permitem ver de novo – e de forma diferente – algo que já estava fixado na história do cinema. Em 2015, esta secção surge reforçada com cinco filmes-concerto ao longo da semana do festival.

O destaque principal vai para os Lambchop – banda natural de Nashville, liderada por Kurt Wagner, conhecida pelo seu som country-rock alternativo e tom melancólico – que iniciam a digressão europeia em Vila do Conde. Para além de temas do repertório da banda, os Lambchop tocarão ao vivo para um projecto inédito, produzido pela Curtas Metragens CRL, do realizador Bill Morrison (cineasta em foco em 2013), que recolhe várias imagens de filmes do cinema mudo português, remontando-os para uma visão contemporânea. É um espectáculo que promete ficar na história do festival.

Esta secção, apoiada pela Fnac, contará ainda com filmes-concerto de artistas e estilos muito variados. Os portugueses You Can’t Win, Charlie Brown vão musicar o filme mudo de 1914, Maudite Soit La Guerre, de Alfred Machin. Frankie Chavez, continuará o passeio pela história do cinema musicando The Good Bad Man, de Allan Dwan, de 1916. Por sua vez, Bruno Pernadas actuará sobre um filme clássico de Buster Keaton, Steamboat Bill, Jr, de 1928. Garcia da Selva, juntamente com Norberto Lobo, fará uma interpretação de uma selecção de excertos fílmicos denominada Framed by a Second.

A iconoclastia do cinema contemporâneo passará também pelas sessões da retrospectiva In Focus dedicada ao francês Quentin Dupieux, muito conhecido pelo alter-ego Mr. Oizo enquanto DJ. Nesta retrospetiva, o Curtas promove a estreia nacional de Réalité (2015), o mais recente filme do realizador, Wrong (2012) e Wrong Cops (2013), Nesta secção será ainda apresentado Rubber (2010).

O Curtas Vila do Conde tem produzido vários filmes nos últimos anos, sobretudo no contexto do Campus, um projecto desenvolvido com escolas da região Norte. Em 2015, o festival apresenta três novos filmes, produzidos na segunda edição desse projecto, realizados por Lois Patiño, Sandro Aguilar e Manuel Mozos. Serão, também apresentados, em antestreia mundial, duas produções realizadas a partir de residências artísticas na Solar – Galeria de Arte Cinemática: Vila do Conde Espraiada, de Miguel Clara Vasconcelos, e Nossa Senhora da Apresentação, de Abi Feijó, Alice Guimarães, Laura Gonçalves e Daniela Duarte.

Na Solar – Galeria de Arte Cinemática, vão encontrar-se dois cineastas que têm feito a história recente do cinema experimental e, também, do Curtas Vila do Conde: Ben Rivers e Ben Russell. A proposta da exposição cinemática Ruins/Rites/Runes é habitar o espaço da galeria com obras que dialogam entre si, ora realizadas pela dupla, ora individualmente. A exposição é complementada por uma sessão de cinema no festival apresentada pelos dois cineastas, propondo, também, um debate sobre as obras.

Núcleo central do festival, as Competições – internacional, nacional, experimental, vídeos musicais, Take One! e Curtinhas – voltarão a apresentar o melhor do cinema contemporâneo, mostrando como a curta-metragem continua a ser um formato de excelência e de experimentação. As secções Curtinhas e Take One!, para além das suas secções competitivas, terão espaços de formação dedicados a públicos diversos. O Curtinhas, patrocinado pelo Mar Shopping, abrirá com a pré-estreia de um dos mais aguardados filmes de animação do ano: A Ovelha Choné.

Finalmente, um conjunto de escolhas de filmes europeus de produção recente, nos diversos Panoramas e no programa Short Matters!, constitui uma oportunidade única para conhecer cinematografias menos difundidas comercialmente.

De 4 a 12 de Julho, Vila do Conde voltará a ser a capital portuguesa do cinema com uma programação diversificada, onde os diferentes públicos poderão partilhar a experiência do melhor do cinema e das artes performativas.

O Curtas Vila do Conde conta com o apoio da Câmara Municipal de Vila do Conde, do Secretário de Estado da Cultura, do Instituto do Cinema e Audiovisual, do programa MEDIA/Europa Criativa e de vários parceiros imprescindíveis à realização do Festival.

Podes consultar o programa completo aqui.