O Google Street View leva-nos numa viagem por maravilhas subaquáticas que não podemos estragar


 
O Shifter precisa de dinheiro para sobreviver.
Se achas importante o que fazemos, contribui aqui.

A 8 de Junho celebrou-se o Dia Mundial dos Oceanos. A Google não deixou o marco passar em branco, para tal divulgou 40 novos sítios subaquáticos, possíveis de explorar, na sua Street View.

Foi em 2012 que a Google começou a aplicar o conceito Street View aos oceanos terrestres. Com a ajuda da Catlin Seaview Survey, organização que se dedica à captura de imagens subaquáticas, foi possível suprimir algumas limitações iniciais e começar, de facto, a elaborar um mapa digital imagético referente ao fundo dos nossos oceanos.

Em 2013, foram lançadas as primeiras imagens. A Grande Barreira de Coral foi um dos sítios contemplados inicialmente pela gigante americana e pela Catlin Seaview Survey. Desta vez, e para que fosse possível trabalhar em 40 pontos de interesse distintos, o apoio, através da recolha de imagens, da National Oceanic & Atmospheric Administration e do Chagos Conservation Trust foi importante ao projecto.

As novas imagens da Google transportam-nos numa viagem que percorre as águas costeiras de Timor-Leste, do Brasil, das Bahamas, ou ainda os corais de Larsen Bay (Samoa), tidos como os mais bonitos de todo o Pacífico.

A Google referiu em comunicado que “espera que a divulgação das imagens inspire as pessoas a procurar aprender mais sobre este fundamental recurso natural”. A empresa pretende que para além do carácter recreativo que tem a aplicação, as pessoas percebam o seu lado prático e de consciencialização.

É agora possível acompanhar de perto as transformações pelas quais os fundos oceânicos passam, muitas delas incutidas pela irresponsabilidade ambiental do Homem. A Google deixa o alerta: “o Oceano está a mudar a um ritmo rápido devido às alterações climáticas e à poluição, o que faz com que este seja um dos sérios problemas ambientais mais urgentes que enfrentamos actualmente.”

A multinacional ilustra o problema com a Grande Barreira de Coral, que foi fotografada em 2014 e este ano, sendo o cenário diferente num espaço tão curto de tempo.

gstreetviewoceano_02

O Street View está cada vez mais interessante. Ao mesmo tempo que “mergulha” cada vez mais fundo na imensidão dos oceanos da Terra, permite também explorar universos completamente distintos como é o caso do planeta Marte e da Lua.

Se não conseguirmos aumentar o número de patronos, a 2ª edição da revista será a última, e o Shifter como o conheces terminará no final de Dezembro. O teu apoio é fundamental!