O futuro chegou cedo demais?


“O que eu acho é que não devemos ser apanhados de surpresa pelo avanço da nossa tecnologia. Isto aconteceu vezes sem conta na História com o avanço tecnológico, que por sua vez muda as condições sociais, e de repente as pessoas encontram-se em situações que não anteciparam e a fazer todo o tipo de coisas que, afinal, nunca quiseram fazer”, disse Aldous Huxley, numa entrevista, em 18 de Maio de 1958.

No próximo grande encontro promovido pela Fundação Francisco Manuel dos Santos, vamos atender ao aviso que Aldous Huxley, o autor de Admirável Mundo Novo, nos fez há mais de meio século. Quais as principais inovações tecnológicas a que assistimos hoje em dia ou prevemos para o futuro próximo? Como afectam os indivíduos, a sociedade, a política e a economia? Quais as promessas encerradas nestas mudanças? Que riscos comportam? Como os podemos antecipar e controlar, para que o futuro não chegue cedo demais?

Estas perguntas serão o ponto de partida para um dia de reflexão e descoberta, a percorrer ao longo de quatro painéis: ‘Eu Digital’, ‘Vida Inteligente’, ‘Economia 2.0’ e ‘República Digital’. O encontro – aberto ao público mediante entradas pagas – vai acontecer já dia 12 de Junho com a Casa da Música como cenário.

O evento irá juntar vários dos maiores especialistas internacionais em diversos campos da tecnologia, das novas tendências e do digital. Robótica, 3D, drones, biohacking, são apenas alguns dos termos e conceitos a explanar por cerca de uma dúzia de oradores de reputação mundial, incluindo Manuela Veloso, David Brin, Evgeny Morozov, Ellen Jorgensen, Tyler Cowen, Andrew Chadwick, Francesca Bria, Mario Campolargo, Bruce Sterling e Jake Bowers, para citar apenas alguns dos nomes convidados (ver lista e biografias em anexo para mais informação).

A conferência de abertura do encontro Admirável Mundo Novo será proferida por Manuela Veloso, Herbert A. Simon Professor em Computer Science and Robotics na Carnegie Mellon Univerity.

O encerramento ficará a cargo de Alexandre Soares dos Santos, Presidente do Conselho de Curadores da Fundação Francisco Manuel dos Santos, o qual desde o primeiro momento de criação da Fundação Francisco Manuel dos Santos tornou claros os seus [da Fundação] principais objectivos: estudar “os grandes problemas nacionais e levá-los ao conhecimento da sociedade civil, visando o debate e estimulando a discussão”, pretendendo-se “uma sociedade aberta à cultura, consciente dos seus problemas e das soluções mais adequadas à sua resolução. Uma sociedade activa que, sem medo e em plena liberdade, expõe os seus pensamentos, a sua crítica e os seus anseios”.

Esta é a primeira vez que a FFMS realiza um dos seus grandes encontros fora de Lisboa. De acordo com Nuno Garoupa, presidente da Fundação, “a realização deste encontro na cidade do Porto é reveladora da nossa vontade de descentralizar tanto quanto possível as nossas diversas iniciativas. A seguir ao Porto, várias cidades do país irão acolher outros eventos relevantes organizados pela Fundação Francisco Manuel dos Santos”.

Podes saber mais sobre esta iniciativa aqui. Os bilhetes custam 10 euros até dia 10 de Junho, sendo que existe um preço especial para estudante: 3 euros. Existirá livestream de todo o evento.