Google está a desenvolver pulseira capaz de monitorizar doentes em tempo real


 
O Shifter precisa de dinheiro para sobreviver.
Se achas importante o que fazemos, contribui aqui.

Os aparelhos electrónicos cada vez mais pessoais estão para ficar e, nesse sentido, a Google aperfeiçoou o conceito e decidiu aplicar a tecnologia à Medicina. Daqui surgiu a mais recente pulseira dedicada à saúde, capaz de fornecer informação ao minuto sobre o estado do organismo, de modo a ser utilizada em ensaios clínicos e projectos de investigação.

A pulseira da Google é mais um dos projectos da divisão de investigação Google X a sair dos laboratórios de Mountain View e a possibilitar um novo modo de aquisição de dados relativos ao nosso organismo. De acordo com a Bloomberg, o aparelho será capaz de registar a frequência e o ritmo cardíaco, a temperatura da pele, bem como informações relativas ao ambiente como a exposição de luz solar, a temperatura e o nível de ruído sonoro.

O aparelho, contudo não estará disponível no mercado e será especificamente direccionado para uma área mais profissional. Numa entrevista concedida à Bloomberg, Andrew Conrad, director da divisão Google X vincou este propósito: “o objectivo pretendido é de que seja utilizada como um dispositivo médico, que é prescrito aos doentes ou usado em ensaios clínicos.”

Uma das grandes diferenças para alguns programas ou dispositivos da Google destinados a reunir informações sobre o organismo, baseia-se na precisão das medições, fundamental no contexto de um ensaio clínico, onde pequenas oscilações podem tomar proporções importantes. Além disso, a pulseira é capaz de enviar informações em tempo real e permitir, deste modo, que os investigadores ou os médicos saibam o que se está a passar a cada momento.

De acordo com a Google, os testes com este aparelho começam este Verão, sendo que a empresa procurará aprovação da FDA para ser usada como dispositivo médico e depois estabelecerá parcerias com instituições académicas e companhias farmacêuticas.

Recorde-se que este não é o primeiro aparelho médico a ser produzido pela Google X, também responsável pelo desenvolvimento do Google Glass. No início deste ano, foi anunciada a produção de lentes de contacto que conseguem medir os níveis de glicémia e que entretanto já foram licenciadas e serão comercializadas pela companhia suíça Novartis.

O Shifter precisa de cerca de 1600 euros em contribuições mensais recorrentes para assegurar o salário aos seus 2 editores. O teu apoio é fundamental!