Na Holanda, o plástico reciclado pode vir a substituir o alcatrão em estradas


Este artigo é gratuito como todos os artigos no Shifter.
Se consideras apoiar o nosso trabalho, contribui aqui.

A Holanda pode ser país de muitas venturas, mas no que toca a inovações tecnológicas é certo e sabido que o país ocupa um lugar privilegiado na vanguarda europeia e mundial. Enquanto em Amesterdão, por exemplo, as entidades locais estão a trabalhar com uma start-up para imprimir pontes em 3D, a câmara de Roterdão prepara-se agora para ser testar um conceito inovador, que consiste em construir estradas e ciclovias com recurso a plástico reciclado.

O projeto chama-se PlasticRoad e é da autoria da empresa de construção holandesa VolkerWessels. A ideia passa por pré-fabricar excertos de estrada de plástico que seriam posteriormente aplicados e devidamente montados uns nos outros – como que se de um puzzle se tratasse. Seguindo este modelo de construção, a empresa garante que as estradas podem ser construídas em semanas ao invés de meses”, o que resulta de uma logística de transporte e montagem muito mais simplificada.

plasticroad_02

No que diz respeito à constituição destes excertos, o projecto antevê que as PlasticRoads sejam compostas por duas camadas distintas de plástico reciclado, sendo estas intercaladas por uma espécie de caixa com o auxílio de pequenos tubos. Nessa caixa, a VolkerWessels diz ser possível colocar cabos ou até pequenos tubos, algo que seria tremendamente vantajoso face às estradas ditas tradicionais, feitas de asfalto e alcatrão. O impacto ambiental é, também e por razões óbvias, um importante fator, uma vez que o plástico reciclado é uma matéria-prima significativamente mais ecológica do que a utilizada nas estradas dos dias de hoje.

Os responsáveis pela PlasticRoad dizem que a sua aplicação tem inúmeras vantagens ainda ao nível da manutenção e resistência da superfície. Estas estradas não são afectadas pela corrosão provocada por água ou reacções químicas, são capazes de resistir a temperaturas entre os 80 graus e os 40 graus negativos (Celsius) e têm um tempo de utilização esperado cerca de três vezes superior aos das estradas tradicionais.

plasticroad_03

Ainda numa fase embrionária e conceptual, a WolkerWessels conta fazer da PlasticRoad uma realidade num período de tempo que não exceda os 3 anos, estando agora à procura de parceiros nas área da reciclagem e na indústria de plástico. Ainda assim, a cidade de Roterdão já deu a conhecer o seu apoio ao projeto, considerando a inovação “muito positiva” e referindo que o “laboratório de rua” da cidade está mais que preparado para testar este tipo de experiências.

Investimos diariamente em artigos como este.
Precisamos do teu investimento para poder continuar.