Adolescentes idealizam preservativo que muda de cor quando detecta uma DST


Decora este nome: S.T. Eye. É uma ideia em crescimento. Daanyaal Ali, Chirag Shah e Muaz Nawaz venceram a categoria de saúde do concurso TeenTech Awards 2015, ao inventarem o preservativo que muda de cor quando detecta uma DST. Assim será, verde para clamídia, amarelo para herpes, roxo para o vírus do papiloma humano e azul para sífilis.

Dirigida a crianças dos 11 aos 16 anos, a competição desafia os jovens a usarem a ciência e a engenharia como meios de resolução de problemas. Mostrando ao mundo que o tamanho não interessa, os pequenos estudantes da Issac Newton Academy de Londres quiseram criar algo que “tornasse a prática sexual mais segura e que as pessoas possam tomar precauções na privacidade de sua casa, sem terem que se submeter aos habituais procedimentos médicos”, referiu Daanyaal.

steye_02

E como chegaram os miúdos a esta ideia? Bom, há que realçar que terão enormes desafios pela frente, principalmente no que toca a especificações técnicas. Foi-lhes apresentando na Isaac Newton o teste ELISA (Enzyme-Linked Immunosorbent Assay), que permite detectar anticorpos de uma doença específica, passíveis de estarem presentes nos fluídos sexuais de homens e mulheres. Portanto, o primeiro desafio será fazer com que este teste “funcione” num preservativo.

Indo mais além, para o preservativo mudar de cor, será necessário fazer com que a reacção não seja invisível. Para isso, terá que entrar em acção um corante e, para juntar um corante a um anticorpo, é necessário outro anticorpo.

Veremos se a ideia avança para protótipo ou se fica pelos preliminares. Para já, foi-lhes dada a quantia de aproximadamente 1400 euros e a oportunidade de apresentarem a ideia no Buckingham Palace, o que deverá acontecer até ao final do ano. Até novos desenvolvimentos, teremos então que optar por preservativos com menos dinâmica de cor e análises regulares.