Robô passa teste de consciência humana


robô teste de consciência humana
 
O Shifter precisa de dinheiro para sobreviver.
Se achas importante o que fazemos, contribui aqui.

Pode deixar de ser algo apenas retirado de um filme de ficção científica. Os robôs podem estar mesmo a ficar mais inteligentes e com níveis de consciência muito superiores àqueles que lhes atribuímos.

A conclusão chega na sequência de um simples teste realizado por um grupo de cientistas no Rensselaer Polytechnic Institute, em Nova Iorque. Os cientistas construíram três robôs aos quais lhes foi proposto um dilema conhecido como o teste dos “Três Homens Sábios”, um teste vulgarmente utilizado para avaliar a consciência.

A parábola conta-se de seguida: o Rei chamou os três homens mais sábios do reino e colocou um chapéu na cabeça de cada um; os sábios conseguiam ver os chapéus uns dos outros, mas não o seu. Havia apenas dois tipos de chapéu, um azul e outro branco, e o Rei revelou que, pelo menos um deles, teria um chapéu azul (poderia haver um, dois ou três chapéus azuis). O Rei anunciou que o primeiro homem que descobrisse a cor do seu chapéu tornar-se-ia o novo conselheiro real.

O teste foi apresentado aos três robôs, mas adaptado: a dois deles foi dito que não podiam falar e a pergunta colocada foi: “qual de vocês consegue falar?”.

No início todos os três tentaram dizer “eu não sei”. Mas quando apenas um deles conseguiu emitir som, a resposta alterou-se: o robô em questão mostrou possuir consciência de si próprio e, ao ouvir a sua voz, declarou “desculpem, agora já sei!”.

Apesar de parecer aparentemente simples para nós, a conclusão deste teste mostra um grau importante de consciência do robô, que conseguiu saltar duas barreiras lógicas para atingir a resposta à questão. Em primeiro lugar percebeu a questão colocada. Em segundo, e mais importante, ouviu a sua própria voz, reconheceu-a e foi capaz de utilizar esta situação para raciocinar e chegar à conclusão.

Esta experiência mostra que os robôs podem desenvolver algumas qualidades humanas como consciência e dedução. Apesar de ainda estarem muito longe do conceito de consciência como é percebido por nós Humanos, é uma aproximação poderosa daquilo que podemos esperar daqui a uns anos.

Se não conseguirmos aumentar o número de patronos, a 2ª edição da revista será a última, e o Shifter como o conheces terminará no final de Dezembro. O teu apoio é fundamental!