A Uber devia dizer-te qual o melhor sítio para o motorista te apanhar


 
O Shifter precisa de dinheiro para sobreviver.
Se achas importante o que fazemos, contribui aqui.

Quando chamas um Uber, és tu que dizes onde queres ser apanhado. Colocas o pin no local de partida ou escreve uma morada. Mas por vezes escolhes um sítio que atrapalha o trânsito ou que não é tão conveniente para o motorista.

A Uber deveria dizer-te o melhor sítio, à tua volta, para o motorista te apanhar. E parece que é isso mesmo que a empresa está a testar em São Francisco. Segundo o TechCrunch, enquanto mexes no pin, a app explica-te que podes poupar tempo em se o colocares em determinados pontos verdes.

Se o fizeres, tens depois de ir até esse ponto. Podes ver no mapa onde ele fica; ele diz-te a morada e tudo. Enquanto caminhas, o motorista já está em andamento para o ponto de encontro, pelo que o tempo de espera é reduzido.

Este sistema é bem melhor que o actual, conforme nota o TechCrunch:

  • os motoristas gastam menos tempo e menos combustível nas suas viagens, pelo que podem realizar mais viagens por hora e assim ganhar mais dinheiro. Por outro lado, a empresa aumenta a eficiência do serviço;
  • os motoristas podem evitar ruas congestionadas, onde parar é difícil;
  • os passageiros ficam menos tempo à espera dos motoristas, dado que estes fazem rotas que lhes são mais favoráveis;
  • os passageiros pagam menos, dado que os motoristas não fazem rotas ineficientes para os apanharem em zonas desfavoráveis para ambos.

Como é que a Uber sabe quais os melhores locais para apanhar passageiros? Aparentemente de viagens anteriores. Reunindo os sítios onde os motoristas tentaram parar no passado, a Uber parece ter criado um mapa de onde existe espaço para parar e recolher pessoas.

O TechCrunch diz que, nos testes que fez, a app não teve em conta o destino no momento de sugerir locais de partida, nem deu sugestões quando era inserido uma morada de início. As sugestões só aparecem quando o passageiro usa o pin e o GPS do seu telemóvel. Também não existe qualquer desconto ou incentivo para usar os locais sugeridos para além da poupança de tempo.

Se não conseguirmos aumentar o número de patronos, a 2ª edição da revista será a última, e o Shifter como o conheces terminará no final de Dezembro. O teu apoio é fundamental!