Como a Uber “gozou” com o mayor de Nova Iorque


O presidente da câmara de Nova Iorque, Bill De Blasio, está a tentar aprovar um projecto de lei que limitaria o número motoristas que a Uber e outros serviços de ride-sharing podem adicionar às suas plataformas. De acordo Blasio, esta regulamentação faria diminuir o trânsito nas ruas e avenidas de Nova Iorque.

Para contestar a aprovação da nova medida, que pode acontecer esta semana, a Uber disponibilizou a opção “De Blasio” na sua app, para os mais de 2 milhões de utilizadores do serviço em Nova Iorque. Mas ao contrário das outras opções, como o “UberPOOL” ou o “uberX”, o “De Blasio” não dá para chamar veículos.

Na verdade, no “De Blasio”, nunca há carros disponíveis ou os tempos de espera são superiores a 25 minutos. A ideia da Uber é mostrar aos nova-iorquinos como seria a sua vida com o plano de Blasio aprovado. Através da opção “De Blasio”, os utilizadores podem enviar um e-mail ao mayor e ao conselho municipal, opondo-se expressamente à nova medida e incentivando o chumbo do projecto de lei.

uberdeblazio_02

A proposta de Bill de Blasio é uma lei com a duração de um ano que colocaria a Taxi and Limousine Commission (TLC) a limitar o número de licenças para serviços de ride-sharing. A lei teria a validade de um ano, durante o qual a TLC completaria um estudo sobre o impacto destas plataformas na cidade.

Para a Uber, esta regulamentação colocaria um limite de 201 novos motoristas no próximo ano à Uber. A empresa diz que este número é mais pequeno que o número de motoristas que actualmente são adicionados à plataforma a cada semana. “O plano do mayor Blasio para para a Uber vai custar 10 mil postos de trabalho, ferir áreas carentes e disparar os tempos de espera”, referiu David Plouffe, da Uber, ao TechCrunch.

Para além da nova opção na app, a Uber também publicou um vídeo com alguns dos motoristas parceiros da empresa.