Querem calar a Coca-Cola durante 1 ano


Este artigo é gratuito como todos os artigos no Shifter.
Se consideras apoiar o nosso trabalho, contribui aqui.

E se a Coca-Cola investisse o seu orçamento anual de 3 mil milhões de dólares em publicidade numa acção que pudesse salvar o planeta? A Buy the World a Hope, uma organização alegadamente independente que tem como objectivo último “resolver problemas ambientais” lançou uma campanha online dirigida ao CEO da multinacional norte-americana.

A Buy the World a Hope pede à Coca-Cola que não invista em publicidade durante um ano e, em contrapartida, dedique esse esforço às florestas tropicais, nomeadamente à Amazónia e aos seus indígenas.

O nome da iniciativa surge através do primeiro anúncio global da marca, “Buy the World a Coke”, que se tornou um dos vídeos mais bem sucedidos da história do marketing. Na altura, cantada por um grupo de adolescentes, as vozes evocavam sentimentos positivos de amor e união, valores sob as quais a marca se rege.

No fundo, a Buy the World a Hope pede agora que a Coca-Cola invista exactamente nos mesmos valores e missão em que investiu aquando da sua icónica campanha.

Actualmente, a Buy the World a Hope, já conta com um site disponível em 15 idiomas, vídeos animados a explicar o conceito, uma petição pública para que o projecto seja concretizado, e presença nas redes sociais Facebook e Twitter. Até agora, os números indicam que isto até poderá ser possível: 83% dos consumidores globais assumem que trocariam a marca que consomem por outra se esta tornasse o seu mundo melhor.

À primeira vista, este fundamento poderá parecer ingénuo, apesar de bem intencionado, mas o que é certo é que a acontecer também é notório o buzz que a Coca-Cola receberá por reforçar a tão aclamada “responsabilidade social” que os consumidores cada vez mais esperam das empresas.

Do outro lado da moeda, sabe-se que a correlação entre gastos com o marketing e os respectivos lucros provenientes das vendas de produtos é forte pelo que a Pepsi, por exemplo, poderia aproveitar esta ausência para novas e exclusivas campanhas para recuperar terreno face à sua maior concorrente.

Investimos diariamente em artigos como este.
Precisamos do teu investimento para poder continuar.