Este robô-mãe fabrica sozinho as suas próprias “crianças”


 
O Shifter precisa de dinheiro para sobreviver.
Se achas importante o que fazemos, contribui aqui.

Um grupo de pesquisadores liderado pela Universidade de Cambridge construiu um robô-mãe que pode fabricar de forma independente as suas próprias crianças e testar as que se portam melhor e, em seguida, usar os resultados para melhorar o desenho da próxima geração, de modo que as características preferenciais são passadas de uma geração para a seguinte.

Os cientistas observaram o processo de evolução por seleção natural em ação em robôs através da construção de uma ‘mãe’ robô que pode projetar, construir e testar suas próprias ‘crianças’, e, em seguida, usar os resultados para melhorar o desempenho da próxima geração, sem depender de simulação de computador ou intervenção humana.

Texto: Ana Carreira

Aprofundar

On the origin of (robot) species (University of Cambridge): In order for the mother to determine which children were the fittest, each child was tested on how far it travelled from its starting position in a given amount of time. The most successful individuals in each generation remained unchanged in the next generation in order to preserve their abilities, while mutation and crossover were introduced in the less successful children.

O Shifter precisa de cerca de 1600 euros em contribuições mensais recorrentes para assegurar o salário aos seus 2 editores. O teu apoio é fundamental!