O desastre da “taxa Google” em Espanha


Os resultados estavam adivinhados por toda a gente menos os casmurros dos editores. Um estudo encomendado por eles conclui que em apenas seis meses de aplicação da “taxa Google”, os prejuízos atingirão os 10 milhões de euros, fora os pequenos e médios jornais regionais e locais que simplesmente tiveram de fechar.

Menos 10 a 20% de tráfego, menos 10 milhões, em apenas 6 meses. Um desastre.

A questão que permanece: até quando vão os acionistas e stakeholders das empresas de media tolerar as estratégias suicidas dos seus executivos?

E não apenas das empresas de media. Também dos dependentes delas: músicos, videógrafos, artistas e produtores de conteúdos inscritos em associações como a Sociedade Portuguesa de Autores. Cujo presidente, José Jorge Letria, exultava há 7 meses com a introdução da taxa Google em Espanha, suspirando pelo momento em que a SPA e os grupos de pressão consigam sujeitar o legislador português a aprovar cá o disparate.

Alguém tem de ser chamado à pedra por, ao longo de uma década, gastar avultadas somas em lóbistas e advogados numa estratégia que não produziu um resultado positivo para amostra. E até agravou as condições. Aquela lei fez as coisas recuarem pelo menos 5 anos em Espanha.

Os agregadores, com os defeitos que têm, são parte importantíssima do “sangue” do setor informativo: têm o tipo de importância que tiveram ardinas, quiosques e prateleiras em livrarias na saúde da imprensa de papel do século passado. Atacá-los cegamente equivale a dar um tiro num pé.

Sejamos realistas: a desculpa com o “papão” do digital não é mais aceitável.

Um desastre. Que aguarda explicações e justificações — para não dizer demissão de uma geração de decisores agarrados a conceitos que ficaram no século XX e que não fez mais nada nas últimas 2 décadas senão piorar a situação, agravar a perda de valor para os acionistas e deixar os autores em becos sem saída, manietados por sociedades gestoras de rendas que não vêm do público que os consome.

Texto: Paulo Querido/Hoje
Foto: Flickr

Aprofundar

New study shows Spain’s “Google tax” has been a disaster for publishers (Joe Mullin/Ars Technica): Traffic to small publishers dropped 14, and some local news apps shut down. In the short-term, the study found, the law will cost publishers €10 million, or about $10.9 million, which would fall disproportionately on smaller publishers. Consumers would experience a smaller variety of content, and the law “impedes the ability of innovation to enter the market.”

Informe económico del impacto del Nuevo Artículo 32.2 de la LPI (NERA para la AEEPP) (Asociación Española de Editoriales de Publicaciones Periódicas): El “CanonAEDE” y el cierre de agregadores como Google News han provocado ya daños, y se prevé impacto económico millonario, daños y perdidas en el ecosistema de internet y de la información online.