Um Obama mais verde? Presidente dos EUA está preocupado com as alterações climáticas


O presidente dos EUA está apreensivo com as alterações climáticas. Numa conferência de imprensa em Anchorage, Alasca, Obama dedicou toda a sua intervenção a falar do aquecimento global e das modificações cada vez mais evidentes no clima mundial.

Ao contrário dos seus antecessores, Obama não assobiou para o lado e assumiu não só a gravidade do problema como a quota-parte da responsabilidade dos EUA. “As alterações climáticas já não são um problema distante. Está acontecer aqui, e está a acontecer agora”disse o presidente. “Não estamos a agir suficientemente rápido. Vim aqui hoje, como líder da maior economia mundial e o segundo maior emissor de gases com efeito de estufa, para dizer que os Estados Unidos reconhecem o seu papel na criação deste problema e que assumimos a responsabilidade de o ajudar a resolver.”

Não deixa, contudo, de ser curioso o facto da conferência ter sido acompanhado de protestos de muitos activistas ambientais. Obama deu recentemente luz verde para a que a Shell continuasse as suas perfurações petrolíferas no Ártico, algo que muito tem desagrado os ambientalistas.

Apesar da polémica, o esforço do presidente dos EUA na luta contra as alterações climáticas tem de ser aplaudido. Recorde-se que os EUA foram o único país do Mundo que não ratificou o Protocolo de Quioto no início do milénio, pois, segundo o seu presidente na altura, George W. Bush, a adopção de medidas para reduzir a emissão de gases com efeito de estufa repercutir-se-ia negativamente na economia do país. O que Bush não contou foi que as próprias alterações climáticas tivessem impacto negativo no país: este Inverno foi um dos mais rigorosos de sempre na costa leste dos EUA, obrigando a paragem de diversas infra-estruturas devido aos nevões e a Califórnia tem sido devastada por incêndios ano após ano.

obamaalteracoesclimaticas_02

As mudanças no clima e os fenómenos que se têm verificado têm servido para alertar a opinião pública americana. Nos EUA, 40% da população não acredita que estejam a ocorrer alterações climáticas e uma percentagem ainda maior reconhece a existência de modificações no clima mas recusa-se a aceitar que estas tenham como base causa humana.

Cleaning Power Plan é o nome do plano apresentado por Obama, um legado que o mesmo quer deixar às futuras gerações, agora que o fim do seu segundo mandato se aproxima. O plano toca em vários pontos a serem colocados em prática com o objectivo de evitar a subida das temperaturas globais. Estes são alguns dos pontos focados:

1 – Reduzir as emissões de carbono nas centrais termoeléctricas, o maior responsável pela emissão de gases no país e diminuir, até 2030, 32% das emissões desses mesmos gases poluentes.

obamaalteracoesclimaticas_03

2 – Expandir a economia das energias renováveis e construir infra-estruturas para estas energias. Sendo o sector dos transportes um dos mais poluentes, o plano propõe-se a arranjar alternativas aos combustíveis tradicionais, e garantir que até 2030, 30% da energia provenha de fontes alternativas e renováveis.

obamaalteracoesclimaticas_04

obamaalteracoesclimaticas_05

3 – Acabar com o desperdício energético nos lares, nas empresas e nas fábricas. A eficiência é a palavra de ordem: reduzir as contas da electricidade, poupando-se não só dinheiro mas também emissão de gases para a atmosfera.

obamaalteracoesclimaticas_06

4 – Reduzir as emissões de outros gases de efeito de estufa. Além do dióxido de carbono, outros gases como o metano e os CFC têm importante contribuição para o efeito de estufa.

obamaalteracoesclimaticas_07