Portugal como fornecedor barato de outsourcing


Portugal fornecedor barato de outsourcing

Foi notícia que a Zomato escolheu Lisboa como base comercial para a Europa. Também a Landing.jobs arrancou em Lisboa com uma equipa técnica portuguesa e agora está a investir no mercado britânico.

Acresce que muitos portugueses, ao invés de emigrar, trabalham em regime de teletrabalho para o exterior a partir de Portugal.

Existem também firmas de recursos humanos que contactam gente portuguesa extremamente qualificada quer para suprir a falta deste recursos no exterior, quer para contratar empregados por custos mais baixos que o habitual.

Seja como destino de grande empresas ou como incubadora de startups, Portugal tem os seus atractivos:

  • uma política implacável do governo em baixar o nível de salários
  • diminuição de impostos como o TSU
  • recursos disponíveis com um nível de instrução alta
  • profissionais versados tecnologicamente
  • pessoas com uma predisposição natural para línguas estrangeiras
  • localização estratégica à porta da Europa
  • ligações económicas e rápidas de Internet para o resto do mundo
  • baixo custo de vida
  • uma ubiquidade nefasta de regime de subcontratação, em regime de “consultoria” de longo prazo, que contribui para a média salarial ser inferior
  • uma ausência cultural do conceito de salários de consultor enquanto empregado, não existindo a noção que o salário de consultor é radicalmente superior a um empregado de longa duração

O natural é ao longo do tempo Portugal vir a ser cada vez mais visto como fornecedor de mão de obra barata qualificada na Europa. Veremos até que ponto isto poderá contrabalançar o facto de o nosso mercado interno ser pequeno e se melhorará o nível de salários de forma a estancar a migração em massa de cérebros na área tecnológica.

Texto: Rui Ribeiro

Aprofundar

Is Portugal the new ‘India of Europe’? (DW): Portugal is one of the eurozone’s poorest countries. But there’s one bright spot: the outsourcing industry. Multinational companies are increasingly turning to Portugal as a base.

Spotlight on Lisbon: on the banks of the Tagus and Portugal’s Atlantic shores, a new generation of startups is coming into its own (Tech.eu): With well-established high growth companies such as Farfetch, Timwe, Outsystems and Feedzai, lots of new ones coming out of Startup Lisbon, Faber, Portugal Ventures and other incubators and venture funds, and Beta-i doing the heavy lifting of “community building”, we’re bound to be hearing more exciting news coming from Europe’s Atlantic shores.

Portugal shows how the Eurozone crisis is turning the old world upside down (GigaOm): Take Portugal. Once it paved the way for the modern age as a nation of explorers who built the first global empire in history. These days, however, it’s fast becoming a center for inexpensive startup workers, especially with those companies looking to expand into Brazil and elsewhere.