Bandas podem criar o seu próprio serviço de subscrição no Bandcamp


subscrição no Bandcamp

Apresentada em 2014 e lançada apenas este ano, a funcionalidade tinha, até agora, um carácter experimental. No entanto, a fase beta deu lugar ao projecto definitivo e, de agora em diante, qualquer usuário do Bandcamp pode apoiar seus músicos preferidos, mediante uma taxa mensal ou anual.

O objectivo é que os fãs registados ajudem directamente o músico, recebendo em troca conteúdos exclusivos como o back catalogue do artista — onde podem escutar e fazer download de todo o seu trabalho — ou ainda receber novos lançamentos antecipadamente.

Incluído no pacote de subscrição está também um subscriber-only blog, assim como demos e merchandise restrita.

Para isto, o Bandcamp ficará com 17,9% de todas as subscrições de artista, incluindo uma taxa de 2.9% por processamento e uma uma outra de $0.30. Caso o lucro de subscrições ultrapasse os $5.000, será apenas retirada uma taxa de 10% mais os custos de processamento.

Numa nota deixada pelo site pode ler-se: “A nossa própria experiência, contribuindo para projectos crowdfunded, foi que fomos mais motivados pelo desejo de ajudar um artista que amamos, do que pelo desejo de uma t-shirt, um disco de plástico assinado ou saquinho potpourri.

Assim, o Bandcamp acredita que “os seus maiores fãs estão menos interessados em financiar o tempo de estúdio ou de masterização apenas num álbum do que em apoiá-lo [ao artista] de uma forma sustentável.

Há, no entanto, contrapartidas.

Ao abrigo das novas regras VAT (Value Added Tax), implementadas na União Europeia, alguns artistas defendem que, apesar de ser uma boa iniciativa, em certos casos não existe viabilidade financeira no processo. A razão é que, independentemente das vendas, (seja um álbum ou apenas uma faixa), ou das subscrições, todos terão de pagar o mesmo.

Músicos como Future Of The Left ou Martin Carr defendem que a transição dos artistas para o sistema de subscrição VAT (agora de implementação obrigatória no Bandcamp, salvo algumas excepções) torna-se insustentável, e ameaçam retirar-se do site, já que, no Reino Unido por exemplo, a taxa chega aos 20%.

Em resposta, o site confirmou “a boa notícia é que para as vendas digitais, não é necessário fazer o registo VAT, submeter relatórios quinzenais e por aí adiante”. O Bandcamp tratará dessa parte do processo em nome dos artistas, tal como o iTunes ou a Amazon fazem, sendo que também estes lidam com as taxas VAT.