Amazon com novo serviço de entregas à lá Uber


 
O Shifter precisa de dinheiro para sobreviver.
Se achas importante o que fazemos, contribui aqui.

Flex. É este o nome do novo serviço da Amazon que surge como o Uber das entregas a casa. O Flex, uma nova forma de fazer o envio de encomendas, dá-te a oportunidade de usares o teu carro para entregar compras feitas por clientes da Amazon. De acordo com os dados da empresa, um cidadão normal que o faça pode receber entre 18 e 25 dólares por horas (aproximadamente entre 16 e 22 euros). O serviço, só disponível nos EUA, em Seattle (onde está a sede da empresa), possibilita ao trabalhador independente fazer turnos de duas, 4-8 horas e todos os dias da semana.

Este é um serviço personalizável e flexível. O Flex possibilita aos seus entregadores que estes escolham as áreas por onde querem trabalhar. No entanto, também existem requisitos: tens de ter 21 anos, um smartphone Android (a aplicação só está disponível nesse sistema operativo) e um carro, claro. Nos EUA, pelo menos, o condutor terá de passar por uma verificação de antecedentes criminais. Quem passar o teste, vai fazer parte do Flex e trabalhar nas encomendas exclusivamente para assinantes do Prime Now. Este serviço da Amazon tem como objetivo fazer entregas até uma hora depois de feito o pedido.

amazonflex_02

Com o Flex, a Amazon tenta dar um passo em frente quanto à independência perante as grandes empresas transportadoras norte-americanas. Desta forma, a empresa espera diminuir o tempo de espera dos consumidores ao adquirirem produtos através do site.

O serviço ainda se vai alastrar por todos os estados norte-americanos, até poder sair dos EUA e chegar, quiçá, à Europa e a Portugal. Na lista seguem-se Manhattan, Baltimore, Miami, Dallas, Austin, Chicago, Indianapolis, Atlanta e Portland. Lisboa só nos nossos sonhos mais longínquos.

No futuro existe ainda a possibilidade de se fazer as entregas de bicicleta ou até a pé. Vamos ser todos uns CTT’s ambulantes? Se ainda não percebeste como vai funcionar este sistema nos EUA, vê este vídeo do Wall Street Journal que simula uma situação com o Amazon Flex:

O Shifter precisa de cerca de 1600 euros em contribuições mensais recorrentes para assegurar o salário aos seus 2 editores. O teu apoio é fundamental!