As tuas fotos podem ser transformadas num “Picasso” ou “Van Gogh”


fotos podem ser transformadas algoritmo
Este artigo é gratuito como todos os artigos no Shifter.
Se consideras apoiar o nosso trabalho, contribui aqui.

Provavelmente já ouviste falar dos algoritmos da Google que permitem descobrir padrões de animais em fotos, à medida que estas são consecutivamente filtradas. O resultado final traduz-se, muitas vezes, em imagens bem desconcertantes para os nossos olhos e no mínimo estranhas – muito estranhas.

Desta vez, uma equipa alemã que brinda a Internet com uma forma mais agradável de transformar fotografias. Num paper intitulado “A Neural Algorithm of Artistic Style”, o novo processo reconhece, sintetiza e trabalha gradualmente imagens até que estas parecerem verdadeiras obras de arte, realmente pinceladas às mãos de grandes mestres da pintura.

neuralalgorithmofartisticstyle_02

Excerto de “A Neural Algorithm of Artistic Style”

Apesar de o documento alemão ser recente, alguns coder-artists já começaram a brincar com a metodologia. É o caso de Kyle McDonald, que tentou reproduzir os resultados dos investigadores, publicando alguns resultados no Medium:

neuralalgorithmofartisticstyle_03

No estilo de “Composition VII” por Kandinsky

neuralalgorithmofartisticstyle_04

No estilo de “The Scream” por Munch

neuralalgorithmofartisticstyle_05

No estilo de “Seated Nude” por Picasso

neuralalgorithmofartisticstyle_07

No estilo de “The Shipwreck of the Minotaur” por Turner

neuralalgorithmofartisticstyle_06

No estilo de “The Starry Night” por Gogh

Kyle tinha anteriormente partilhado algumas primeiras experiências no Twitter:

Ver as nossas imagens, ou até vídeos, trabalhados como se de um Picasso se tratasse não tem propriamente uma utilidade extraordinária, no entanto não deixa de ser… giro. O processo explicado em “A Neural Algorithm of Artistic Style” é mais um indício da explosão criativa que certamente virá (e já está) a alterar o modo de processamento de imagens inteligentes.

Investimos diariamente em artigos como este.
Precisamos do teu investimento para poder continuar.