Google pode vir a unificar o Chrome OS e o Android


Chrome OS e o Android

O Chrome OS equipa computador; o Android tablets e telemóveis. Mas a Google pode vir a unificar os dois sistemas operativos, numa estratégia à lá Microsoft. A alteração é avançada pelo o Wall Street Journal e significa grandes novidades para o ecossistema da Google, empresa que agora pertence à Alphabet.

Diz o jornal que o Chrome OS vai ser convergido com o Android porque o Android se tornou o sistema operativo dominante. Unificar as duas plataformas significa que o Android passará a correr nos computadores da Google, baptizados de Chromebooks. Esta mudança tem, desde logo, duas implicações: de um lado, o universo de conteúdos da Google Play Store que vai estar acessível também nesses equipamentos; do outro, os Chromebooks deverão receber um novo nome para reflectivo o novo sistema operativo (Pixel?).

A estratégia da Google é semelhante à da Microsoft: um só sistema operativo para todos os dispositivos. De facto, o Windows 10 pode ser encontrado em computadores, tablets e telemóveis, nas consolas Xbox One, na pulseira Microsoft Band, nos óculos Microsoft HoloLens e em outros dispositivos.

O Android também já existe em várias plataformas. Existe o Android dos telemóveis e tablets, e também existe o Android Wear para relógios e pulseiras, o Android TV para smart TVs e o Android Auto para automóveis. Podemos especular que o Android dos computadores será ligeiramente diferente de todos estes Androids (que, por si só, já são diferentes entre si) – Android PC?

O The Verge, entretanto, diz ter confirmado a unificação dos dois sistemas operativos, sendo que na próxima conferência Google I/O, a decorrer em Maio ou Junho, deverá ser apresentado um preview da alteração. Mas a mudança em si só deverá acontecer algures em 2017; até lá, o número de novos equipamentos dependentes do Chrome OS será menor.

Recorde-se que o último computador revelado pela Google, o Pixel C, corre Android e não Chrome OS como os outros modelos da linha Pixel. Por outro lado, a Google tem nos últimos meses tornado as duas plataformas mais próximas, com, por exemplo, a possibilidade de correr apps Android em Chromebooks.