John Oliver não quer saber de Donald Trump


“Nós não queremos nem temos de querer saber das eleições presidenciais” – foi com esta afirmação que John Oliver marcou a entrevista que deu a Stephen Colbert. E não são muitas as vezes que ouvimos isto da boca de um humorista, até em Portugal, onde também a política é alvo de chacota (por exemplo, no Isto É Tudo Muito Bonito Mas com Ricardo Araújo Pereira, na TVI). Contudo, John Oliver e o seu Last Week Tonight, na HBO, possui uma aura especial. Os temas retratados em cada segmento viram assunto viral e de cobertura geral pelos media tradicional.

“Eu não quero saber até nós estarmos no mesmo ano do acontecimento que é quando supostamente temos de nos preocupar”, explicou John Oliver, entre risos do próprio, de Stephen Colbert e do público. Mais taxativa foi a afirmação sobre Donald Trump, o mais polémico dos candidatos da ala republicana: “couldn’t give less of a shit”. “Estamos cheios de problemas no mundo”, considera, referindo que prefere não falar das eleições enquanto existirem soluções reais por discutir e executar.

Mas como consegue John Oliver captar a atenção dos espectadores durante 18 minutos, no segmento principal, e durante 30 minutos durante todo o programa? É que nem todos os temas são tão aliciantes e mediáticos como os refugiados. O assunto fugiria para Jon Stewart e a saudades que têm do “mentor”. Houve ainda tempo para elogiar Trevor Noah, o sucessor, que, dizem, fez o “impossível”: substituir Jon Stewart de forma eficaz. De referir que tanto Stephen Colbert como John Oliver foram, durante anos, correspondentes do The Daily Show.

Entre conversas séries e provocações, John Oliver ainda confessou que “genuinamente” não sabia que o programa tinha um website. Mas existiram mais assunto nada comuns: por exemplo, houve uma referência a como aproveitar a heroína de forma aceitável. Só visto.

Podes ver todo o segmento com John Oliver aqui: