A “foxificação” da National Geographic: publicação é agora 70% detida por Rupert Murdoch


national geographic rupert murdoch

A 21st Century Fox de Rupert Murdoch comprou 73% da revista National Geographic. Esta publicação existe há 127 anos e deixa de ser sem fins lucrativos.

A partir de agora a National Geographic Partners – nome da nova empresa -, vai perseguir o lucro, embora a National Geographic Society, dona dos restantes 27% do capital social, permaneça uma entidade sem fins lucrativos.

Um dos pontos de interesse deste negócio são os canais de televisão com a marca NGC. Alguns deles estão disponíveis em Portugal nos vários pacotes de televisão paga.

Este negócio levanta preocupações a nível de possíveis alterações da linha editorial da revista e canais de TV, devido ao facto de Rupert Murdoch não acreditar nas alterações climáticas. Por outro lado, o The Guardian afirma que poderá não ser assim tão mau, porque a 21st Century Fox, é gerida pelo filho de Rupert, James Murdoch, que tem revelado algumas preocupações ambientais. Por exemplo, em 2006, ele tornou a sede da Sky, no Reino Unido, o tanto quanto possível, neutra em relação às emissões de carbono.

Se por um lado a National Geographic vai ter mais dinheiro para investir em novos projetos, estes poderão seguir a mesma linha do canal Discovery, onde por vezes são emitidos documentários que são cientificamente especulativos. Tudo em nome do entretenimento.

Texto: Vasco Napoleão

Aprofundar

National Geographic Magazine Will Now Be Mostly Owned by Rupert Murdoch (Jaime Fuller/NY Mag): National Geographic, the nonprofit magazine famous for its yellow-framed cover and eye-opening photography, announced that it is going for-profit after 127 years.The change — an expanded version of an existing 18-year relationship involving properties like the National Geographic Channel — is a partnership between Rupert Murdoch’s 21st Century Fox and the National Geographic Society.

Conservation will be key in the takeover of National Geographic (Emily Bell/The Guardian): The Foxification of National Geographic startled a few lemurs in the American media jungle last week. A new joint venture, built on an axis which takes the globally known magazine and its televisual and digital assets from the not-for-profit sector and puts them under the control of the Murdoch family’s 21st Century Fox, caused initial shock and dismay. While outside the US National Geographic might be best known to consumers as the source of monkey pictures in dentists’ waiting rooms, it isa significant investor in science and research; and while the Murdoch millions boosting the endowment are welcome, the shadow of a different editorial line is not. But maybe for once those fears are misplaced.