O plano do Facebook para tornar obsoleto o número de telemóvel


 
O Shifter precisa de dinheiro para sobreviver.
Se achas importante o que fazemos, contribui aqui.

O Facebook quer que esqueçamos os números de telemóvel e os endereços de e-mail. A partir de agora, podemos falar com 1,5 mil milhões de pessoas no mundo; só precisamos do seu nome.

O Messenger, plataforma de conversação do Facebook, tem uma nova funcionalidade chamada Message Requests, que basicamente consiste em pedidos de mensagens. Quando alguém que não está conectado a ti (por exemplo, não é teu “amigo” no Facebook) te envia uma mensagem, essa mensagem é transformada num pedido, num Message Request. Cabe a ti aceitar ou não a mensagem, isto é, decidir se queres ou não conversar com essa pessoa.

Os Message Requests aparecem no topo da lista de mensagens na app móvel do Messenger e também na versão desktop do Facebook.

Falar com qualquer pessoa no mundo

“Agora, a única coisa que precisas para falar com alguém no mundo é o seu nome”, explicou David Marcus, responsável pelo Messenger, no seu perfil. Obviamente que David está a olhar para um mundo “facebookamente perfeito”, em que todas as pessoas estão registadas no Facebook e/ou usam o Messenger.

Contudo, esse mundo não é assim tão irrealista. O Facebook tem 1,5 mil milhões de utilizadores, um dado que não está muito longe do número de pessoas que estão online. Um estudo promovido pela iniciativa Internet.org revelou que apenas 37,9% da população global tem acesso à Internet pelo menos uma vez por ano – qualquer coisa como 2,5 mil milhões de pessoas. Por outro lado, o Messenger (que pode ser usado sem conta de Facebook) totaliza 700 milhões de utilizadores todos os meses.

fbmessagerequests_02

A regra que dita quais as mensagens que recebes na Inbox e quais as que recebes na forma de Message Request é muito simples: se és amigo no Facebook, se tens o seu contacto no telemóvel ou se já têm mensagens trocadas, as novas mensagens dessa pessoa vão para a tua Inbox; tudo o resto é convertido em Message Requests.

(O Messenger sabe que contactos tens no telemóvel porque “vasculha-os”. No caso do iOS, um sistema operativo muito mais fechado que o Android, a Apple teve de autorizar o Facebook a fazer esta sincronização de contactos.)

Boas notícias para todos

“Esqueçam os números de telemóvel!”, diz David Marcus. Se queres falar com alguém mas não tens o seu número, não consegues.

De certa forma, o Facebook quer tornar os números de telemóvel obsoletos. Ao mesmo tempo, está a reinventar as mensagens de uma forma que o SMS nunca conseguiu. Não faz sentido uma plataforma de mensagens estar circunscrita apenas aos nossos amigos, pois de uma vez ou de outra precisamos de falar com alguém que não conhecemos, seja para iniciar um diálogo profissional, para encontrar um antigo amigo ou para avisar que encontramos a carteira que deixou perdida no metro.

A privacidade não está em causa. Os Message Requests permitem-te falar com toda a gente, mas ter controlo de quem pode falar contigo. Na verdade, não só podes aceitar ou rejeitar o pedido, como bloquear a pessoa em questão.

Por outro lado, com os Messages Requests podes usar o Facebook para falar com pessoas com quem só precisamos de contactar durante um curto período – por exemplo, um mero colega de faculdade ou de trabalho com quem não queremos conectar no Facebook, nem trocar números.

O fim de uma funcionalidade muito irritante

A novidade – que pode parecer uma pequena mudança, mas que é uma grande mudança – vai chegar a todos os utilizadores muito em breve. Com esta alteração, o Facebook remove uma funcionalidade extremamente irritante: a caixa “Outras”.

Até agora as mensagens que agora vão passar a ser Message Requests iam para uma caixa chamada “Outras”, que estava escondida no Facebook e que não podia sequer ser consultada no telemóvel. Resultado? Conversas perdidas. Josh Constine, do TechCrunch, conta que um amigo seu recebeu uma vez uma mensagem no Facebook de um irmão do qual estava separado desde nascença, não o via há mais de 30 anos; mas esse amigo não viu a mensagem durante 6 meses porque foi para a caixa “Outras”.

O Shifter precisa de cerca de 1600 euros em contribuições mensais recorrentes para assegurar o salário aos seus 2 editores. O teu apoio é fundamental!