Rússia anuncia planos para enviar o Homem à Lua em 2029


Homem à Lua
 
O Shifter precisa de dinheiro para sobreviver.
Se achas importante o que fazemos, contribui aqui.

A Agência Espacial Russa – mais conhecida por Roscosmos – quer enviar humanos para a Lua em 2029. Os planos, revelados esta terça, numa conferência sobre espaço e tecnologia em Moscovo, fazem parte do objectivo da Rússia de criar e manter uma estação lunar. A Roscosmos já está a construir a nave espacial para a missão, sendo que o primeiro vôo espacial da mesma está previsto para 2021.

“Um vôo tripulado à Lua e um pouso lunar está previsto para 2029”, disse Vladimir Solntsev, director da Roscosmos Energia, divisão que concebe e desenvolve veículos espaciais, citado pela RT News.

A nave espacial, já em desenvolvimento, fará o seu primeiro voo em 2021. Se o plano correr como previsto, em 2023, a cápsula vai atracar na Estação Espacial Internacional para, em 2025, fazer uma aterragem lunar sem astronautas no seu interior. Só em 2029 irá transportar passageiros até à Lua, marcando o regresso do Homem ao satélite natural da Terra.

Entretanto, a Agência Espacial Europeia (ESA) parece alinhada com os planos russos. Há duas semanas, a BBC News revelou que a ESA está em contacto com a Roscosmos para colaborar no envio de uma sonda ao pólo sul da Lua. A missão, baptizada de Luna 27, vai ser a primeira de uma série de missões que eventualmente enviará humanos ao satélite. “Temos a ambição de levar astronautas europeus à Lua”, disse Bérengère Houdou, responsável da ESA pela exploração lunar, à BBC News.

O Luna 27 faz parte do programa russo de exploração Luna-Globb, cujo objectivo é estabelecer uma base lunar na Lua através de sondas. O Luna-Globb foi anunciado em 1997, mas a data de início do programa tem sido continuamente adiado: foi previsto a primeira sonda chegar à Lua em 2024. O plano original do Luna-Globb inclui outras iniciativas, como a Luna 25 e a Luna 26, que passa por enviar uma sonda a um dos pólos da Lua e outra sonda para a órbita do satélite.

A Russia e a ESA não são as únicas agências olhar para a Lua. O Programa de Exploração Lunar Chinês lançou a iniciativa Chang’e em 2007, que prevê o envio de uma série de sondas para a órbita lunar e, em seguida, para a superfície. A sonda chinesa mais recente – a Chang’e 3 – conseguiu alunar com sucesso no satélite em 2013, estando uma “segunda dose” prevista para 2017. A China espera que as sondas Chang’e preparem caminho para o envio de humanos à Lua em algum momento na década de 2020.

Enquanto a Europa, a Rússia e a China pensam na Lua, os Estados Unidos estão virados para Marte. A NASA quer enviar humanos para o Planeta Vermelho lá para 2030.

Se não conseguirmos aumentar o número de patronos, a 2ª edição da revista será a última, e o Shifter como o conheces terminará no final de Dezembro. O teu apoio é fundamental!