Compara os storyboards desenhados de Akira Kurosawa com os frames dos filmes

Um dos cineastas mais influentes da história do cinema.

Akira Kurosawa
 
O Shifter precisa de dinheiro para sobreviver.
Se achas importante o que fazemos, contribui aqui.

Akira Kurosawa, um dos cineastas mais influentes da história do cinema era, em mais novo, um pintor a dar os seus primeiros passos. Criador de uma imagem cinematográfica tão própria e marcante, autor de obras como Dersu Uzala, Os Sete Samurais ou Às Portas do Inferno, o realizador abandonou ainda em idade precoce a pintura para se dedicar à realização a tempo inteiro.

Nas palavras de Akira Kurosawa: “como um conhecido ditado japonês refere: ‘se caças dois coelhos, podes acabar sem nenhum’”. Com isto em mente, o reputado realizador decidiu queimar todos os quadros que já tinha pintado até à altura para colocar um ponto final nessa sua vertente artística.

Com o começo da carreira como cineasta, Kurosawa percebeu no entanto que as pinturas e os desenhos eram uma forma eficaz de explicar as ideias que tinha para certas cenas dos seus filmes aquando da produção das mesmas. O resultado acabou por ser fascinante: um retrato pintado de algumas das cenas mais marcantes dos filmes do realizador. Uma sintonia perfeita que até aos dias de hoje nos maravilha ao recordarmos a obra do génio, do “Imperador” (como Akira era conhecido devido à sua rigidez atrás da câmara).

Kagemusha (1980), Ran (1985) ou Dreams (1990) são alguns dos filmes ilustrados nas pinturas em causa no que demonstra ser uma perfeita harmonia e justaposição entre o que foi a idealização de Kurosawa e o resultado final das cenas em questão.

akirakurosawastoryboards_02

Kagemusha (1980)

akirakurosawastoryboards_03

Ran (1985)

akirakurosawastoryboards_04

Dreams (1990)

akirakurosawastoryboards_05

Madadayo (1993)

 

Vê todas as imagens aqui.

O Shifter precisa de cerca de 1600 euros em contribuições mensais recorrentes para assegurar o salário aos seus 2 editores. O teu apoio é fundamental!