A raspadinha de DJ Ride


 
O Shifter precisa de dinheiro para sobreviver.
Se achas importante o que fazemos, contribui aqui.

Se nos sentirmos com sorte suficiente para jogar na raspadinha, From Scratch é uma aposta ganha.

O 4° álbum de Dj Ride surge-nos com muitas surpresas. From Scratch (“do rascunho”, ou “do início”, numa tradução menos literal) serve como um reboot para o Dj. Nova editora, novo estúdio, novas colaborações. Um novo começo, no fundo. Mas não foi só na música que Ride inovou. Para veres a capa do álbum tens literalmente que a raspar.

A ideia teve direcção criativa e design gráfico de André Beato, que já colaborou com publicações como a Esquire e The New York Times, ou os sites Abduzeedo e Designspiration.

djridefromscratch_02

Nas palavras do designer, o objectivo foi juntar o minimalismo desta era digital à distorção própria do som de Ride. Se rasparmos a capa (“scratch”) passamos desse minimalismo que só deixava o título ao descoberto, para uma imagem completamente distorcida.

ggg
From Scratch conta com participações de nomes como Mia Holliday, Dengaz, Valete, MGDRV ou Lewis M., entre outros. O álbum é tão transversal quanto as suas 13 colaborações e quanto o seu progenitor. Cruzando o Hip Hop com a música eletrónica, Ride recria-se, utilizando a mesma fórmula que nos tem vindo a habituar desde 2007, desafiando-se com novas sonoridades num “álbum com mais vozes, e com uma produção mais aprimorada”. From Scratch já pode ser adquirido no MEO Music e no iTunes, e tem como pontas de lança os singles “Ciúmes” com HMB e “Fumo Denso” com Capicua.

From Scratch está também disponível no Spotify:

Texto de: João Pedro Padinha
Editado por: Rita Pinto

Se não conseguirmos aumentar o número de patronos, a 2ª edição da revista será a última, e o Shifter como o conheces terminará no final de Dezembro. O teu apoio é fundamental!