DABIQ: a revista arrepiante do Daesh


É do conhecimento comum que o auto-proclamado Estado Islâmico tem um método de propaganda eficaz, moderno e “ocidentalizado”. Os videos em HD são constantes e as mensagens deixadas nas redes sociais impõem cada vez mais o ódio e o medo.

No entanto, existe um produto online que, apesar de ser dirigido especialmente a jihadistas, é importante que todos o conheçam.

A Dabiq é uma revista online mensal que nasceu a 5 de julho de 2014 ou, segundo o calendário islâmico Hijri, no Ramadão 1435. É feita exclusivamente por membros do ISIS e deve o seu nome à cidade no norte da síria, mencionada no Hadith – ferramenta que ajuda os islâmicos a entenderem o Alcorão -, a propósito do fim do mundo. Por outras palavras, os jihadistas acreditam que será em Dabiq que os verdadeiros islâmicos irão defrontar os infiéis, numa batalha que ditará a vitória islâmica e o início do suposto apocalipse.

A revista é publicada em diversas línguas, incluindo o inglês, e os seus objetivos cingem-se a quarto premissas islâmicas: tawhid, manhaj, hijrah, jihadand e jama’ah, que significam união, procura da verdade, migração, guerra santa e comunidade, respectivamente.

Existem atualmente 12 publicações feitas e “O Regresso do Califa” marca a primeira edição de uma revista que muitos de vós desconhecem mas certamente vos impressionará. As capas falam por si, as mensagens dos títulos explicam a sua história e o conteúdo permite-nos traçar uma linha cronológica sobre os últimos acontecimentos vividos. O design é sofisticado e as páginas surpreendentemente bem produzidas. É através dessas mesmas capas que decidimos fazer um resumo desta publicação. Sejam bem-vindos à Dabiq.

1 – A primeira publicação tem como capa uma única frase, muito temida pela Europa: “O regresso do Califa.” Por grande califado entendem-se todas as áreas outrora já ocupadas pelo povo muçulmano sendo que o Califa será aquele a quem todos os que defendem o grande califado devem respeito e obediência. Abu Bakr al-Baghadi é a personalidade nomeada para o cargo.

Nestas páginas é explicado o nome da revista e a ideologia de modo a que mais islâmicos adiram à causa. Além disso, são também enfatizadas as primeiras vitórias e os esforços feitos para conseguir o apoio de outras comunidades. Vê aqui em PDF.

dabiq_01

2 – A segunda mensagem da Dabiq é clara e faz uma analogia à história de Noé, nomeadamente à questão do dilúvio. “Ou estás com o Estado Islâmico ou estás contra ele e serás destruído.” Aqui é feito um apelo a todos os muçulmanos do mundo para que jurem lealdade ao ISIS e se mudem imediatamente para o seu “alegado” território. Vê aqui em PDF.

dabiq_02

3 – “Uma chamada para Hijrah” foca-se essencialmente, e mais uma vez, na tentativa de chamar novos apoiantes do Daesh para o Iraque e para a Síria. A palavra árabe significa migração e refere-se ao período do nascimento do Islão quando o seu fundador se dirigia de Mecca para Medina. Aqui, a nostalgia religiosa está profundamente implícita. Vê aqui em PDF.

dabiq_03

4 – “A cruzada falhou.” É este o título da quarta edição referindo-se às várias tentativas de combate ao Estado Islâmico por parte dos EUA. A capa surge como um símbolo de ameaça ao vermos a bandeira do ISIS hasteada em plena praça de S.Pedro em Roma. Vê aqui em PDF.

dabiq_04

5 – A quinta edição da Dabiq surge após a consolidação do slogan do Estado Islâmico “permanecer e expandir”. Nestas páginas é dada a conhecer a expansão do ISIS aos territórios do Monte Sinai, Líbia, Iémen, Argélia e toda a Península Arábica. É também anunciado o início da produção de dinares de ouro e dirhams de prata, a fim de separá-los dos mercados internacionais para que seja construída uma economia própria. Vê aqui em PDF.

dabiq_05

6 – O Estado Islâmico assume a responsabilidade sobre a morte de duas pessoas em Sydney e pede mais uma vez a todos os muçulmanos que matem desenfreadamente todos os ocidentais que puderem sem que seja dado qualquer tipo de justificação. O resto da revista concentra-se em problemas internos, nomeadamente detratores do movimento. Vê aqui em PDF.

dabiq_06

7 – Uma revista essencialmente dedicada aos ataques ao Jornal Charlie Hebdo e às várias decapitações feitas a jornalistas ocidentais. É uma mensagem clara para toda a imprensa ocidental e que começa a instalar o medo e o pânico na Europa. Imagens arrepiantes do piloto jordano queimado vivo pelo ISIS constam nestas páginas e por último, existe um capítulo cujo o título faz juz a estes crimes: “O Islão é a religião da espada e não do pacifismo.” Vê aqui em PDF.

dabiq_07

8 – “A Sharia sozinha irá governar África.” A lei maxima e única do Estado Islâmico é aqui enaltecida como a força que irá dominar o contintente africano. As vitórias do movimento são também mencionadas deixando de fora as derrotas sucessivas em territórios como o Iraque e a Síria. Neste momento existe um compromisso com o Boko Haram, da Nigéria, e prometem-se ataques terroristas na Líbia e na Tunísia. A Al-Qaeda é entretanto vista como algo fraco e nacionalista e por isso é também considerada não-islâmica. Vê aqui em PDF.

dabiq_08

9 – A nona edição da revista explica a todos os jihadistas que não devem temer qualquer plano contra eles uma vez que é Alá quem controla o mundo. O importante é ser fiel à jihad e pela primeira vez é explicado que a escravidão sexual é legítima segundo os olhos do ISIS. A título de exemplo, a primeira-dama norte-americana, Michelle Obama, é licitada por um terço de dinar. A página 24 contém ainda uma referência a um sistema de saúde próprio. Vê aqui em PDF.

dabiq_09

10 – “A lei de todos ou a lei dos homens”, a revista onde são elogiados os ataques terroristas mortais e em simultâneo na Tunísia, Kuwait e França. Tendo em conta que foi publicada numa altura importante, a do Ramadão, as páginas são maioritariamente dirigidas a questões religiosas. Vê aqui em PDF.

dabiq_10

11 – O orgulho de ter na sua posse reféns e a luta contra os talibãs revelam nesta revista que o ISIS quer se manter sozinho no seu objectivo e pede para que todas as mulheres muçulmanas deixem os seus maridos e filhos combaterem em prol de uma força maior. A questão dos dinares de ouro volta a ser mencionada com orgulho. Vê aqui em PDF.

dabiq_11

12 – Esta última revista é talvez para nós a mais marcante para a Europa uma vez que está directamente associada aos ataques de 13 de Novembro em Paris. “Apenas o terror.” É assim que o auto-proclamado Estado Islâmico vê com orgulho o caos que originou não só em França, como também em Beirut e na Rússia ao derrubar o avião soviético em Sinai. O terrorismo é narrado como um conto de fadas denominando os terroristas de cavaleiros que defendem a honra do Islão. A capa retrata a noite de sexta-feira 13 na capital gaulesa. Vê aqui em PDF.

dabiq_12

Todas as revistas estão disponíveis em PDF no site da organização clarionproject, uma ONG que se dedica ao combate do extremismo islâmico e que defende que para combater o terrorismo é necessário entendê-lo e estar constantemente informado. Por esse mesmo motivo, as revistas continuarão a ser publicadas no site até ordem em contrário.