O design sueco da IKEA apadrinha milhares de abrigos para refugiados


Em Abril deste ano, as Nações Unidas encomendaram cerca de 10 mil abrigos made-in-IKEA para acolher os milhares de refugiados que se encontram nos campos do Iraque.

As pequenas habitações, produzidas pela Better Shelter – uma empresa social pertencente à Fundação IKEA – têm em conta conceitos como a sustentabilidade, forma e funcionalidade e começaram a ser construídas este Verão.

Cada abrigo pode durar até cerca de três anos, contém painéis solares, redes mosquiteiras, ventilação e o mais importante de tudo, para evitar assaltos e violações, portas com trinco. O espaço tem sensivelmente 5 m2 de área e 1,83m de altura e os protótipos destes mesmos abrigos foram previamente testados por 40 famílias do Iraque e da Etiópia. Segundo Anders Rexare Thulin o feedback destas pessoas foi tido em conta durante o desenvolvimento do produto final.

ikearefugiados_02

Desde a encomenda feita em Abril, já foram entregues milhares de unidades em diversos países, muitos deles alvos de conflitos e instabilidade política. O Iraque e Curdistão Iraquiano receberam cerca de 2600 abrigos, seguidos do Chade, da Grécia e do Djibouti com 1000, 520 e 302 respetivamente. Países como a Alemanha, Macedónia e Suíça – que albergam refugiados sírios – foram também contemplados nesta iniciativa.

ikearefugiados_03

Esta já não é a primeira vez que o IKEA abraça causas deste cariz, tendo sido a própria empresa sueca a providenciar candeeiros solares em países como a Etiópia, Sudão, Bangladesh, Chade e Jordânia.

Numa época em que existem mais de 3,5 milhões de refugiados “internos” e 270 mil de outras regiões só no Iraque é bom saber que o design é capaz de substituir noites frias e chuvosas por pequenos lares confortáveis. Tal como defende a Better Shelter: “A home away from home”.

ikearefugiados_04

ikearefugiados_05

ikearefugiados_06