Um museu tão bem limpo que até a arte vai para o lixo


museu
 
O Shifter precisa de dinheiro para sobreviver.
Se achas importante o que fazemos, contribui aqui.

É verdade que no art-world actual, sobretudo na arte contemporânea, torna-se difícil distinguir o verdadeiro trabalho artístico da bagunceira do momento, mas nada justifica uma limpeza tão grande assim. Foi no Museu de Arte Contemporânea de Bolzano, no norte de Itália, que o improvável aconteceu.

Uma obra de arte foi confundida com lixo e, assim, foi deitada fora pelo serviço de limpeza. A funcionária achou que o trabalho, chamado “Onde Vamos Dançar Esta Noite?” era apenas uma bagunça deixada por uma festa realizada no local na noite anterior. Limpou o espaço no sábado e deitou todo o material fora.

museuartedeitadafora_02

A obra de arte – composta por bitucas de cigarro, garrafas vazias e confetes – foi, entretanto, restaurada. É uma criação de Sara Goldschmied e Eleonora Chiari, um duo de artistas de Milão, que tem como objectivo representar o hedonismo e a corrupção política vividos na década de 1980.

De forma bem humorada, o museu disse que “teve má sorte com a nova empregada de limpeza” e pediu desculpas aos visitantes pelo incidente. A exibição foi reaberta na terça-feira a seguir ao incidente.

museuartedeitadafora_03

Um acidente similar ocorreu em Bari, no sul da Itália, em Fevereiro do ano passado. Uma funcionária de limpeza deitou fora trabalhos que faziam parte de uma instalação da galeria Sala Murat. Segundo a empresa responsável pelo serviço de limpeza, a empregada confundiu as peças, feitas de jornais e cartões, com lixo; disse que estava “apenas fazendo seu trabalho”.

Se não conseguirmos aumentar o número de patronos, a 2ª edição da revista será a última, e o Shifter como o conheces terminará no final de Dezembro. O teu apoio é fundamental!