DEAU lança ‘Livro Aberto’


 
O Shifter precisa de dinheiro para sobreviver.
Se achas importante o que fazemos, contribui aqui.

Este MC proveniente de Vila Nova de Gaia subiu pela primeira vez ao palco em 2005, no antigo Hard Club, numa das Nova Gaia Hip Hop Sessions. Em 2015 lança o seu segundo álbum, Livro Aberto através da NOS Discos.

É um projecto intensamente pessoal. Fazendo jus ao nome, apresenta-se de forma aberta, através de 10 histórias, com base na veracidade das suas vivências pessoais. Mais maduro e autobiográfico, vem dar seguimento, e bem, àquilo que Deau veio a construir ao longo dos últimos 10 anos. Se o seu primeiro disco, “Reticências”, foi a afirmação deste artista, este é o momento de acalmar, reconhecer e perceber o verdadeiro potencial deste MC.

Apesar de ser um projecto bastante introspectivo e e biográfico, no momento em que todas as faixas parecem contos que encaixariam na vida de qualquer comum não-artista, torna-se num álbum bastante emotivo, seja no que toca à sua relação com o hip hop, família ou mulheres.

Um pouco à semelhança do que aconteceu no primeiro trabalho, D-One é o produtor de eleição, contando ainda com a participação do duo Roger Pléxico, DJ Player e Expeão na parte instrumental.

deaulivroaberto_02

7 dos 10 temas são inéditos, correspondendo os restantes aos singles já lançados até ao momento: “Andorinha”, “Diz-me Só” e “Raínha de Bugiganga”. A realização dos videoclips esteve a cargo de Miguel Januário, artista/activista conhecido como ±MAISMENOS±, através da sua produtora, Riot Films. Bezegol, Expeão e Ana Lu foram as participações escolhidas, dando também eles voz aos singles.

Livro Aberto:

  1. “Menino da Primeira Fila” (Beat: D-One; Letra e Voz: Deau)
  2. “Bambora”(Beat: D-One; Letra e Voz: Deau)
  3. “Diz-me Só” (Beat: D-One; Letra: Deau e Bezegol; Voz: Deau, Bezegol e Pedro Lamares; Texto: Alexandre O’Neill; Baixo: Né Martinez; Guitarra: Rafael Gomes)
  4. “Asas Abertas, Punhos Cerrados” (Beat: D-One; Letra e Voz: Deau)
  5. “Mãe da Minha Mãe” (Beat: D-One; Letra e Voz: Deau)
  6. “Cala o Medo” (Beat: Roger Plexico; Letra e Voz: Deau)
  7. “Império dos Sentidos” (Beat: D-One; Letra e Voz: Deau e Ace; Baixo: Né Martinez; Guitarra: Rafael Gomes)
  8. “Andorinha” (Beat: Player; Letra: Deau; Voz: Deau e Expeão)
  9. “Rainha de Bugiganga” (Beat: Expeão; Letra: Deau; Voz: Deau e Ana Lu)
  10. “Só Não Quero” (Beat: D-One; Letra e Voz: Deau)

Podem adquiri-lo em formato físico em www.deau.pt ou fazer download gratuito na NOS Discos.

O Shifter precisa de cerca de 1600 euros em contribuições mensais recorrentes para assegurar o salário aos seus 2 editores. O teu apoio é fundamental!