Na Internet, 451 passou a significar censura


O Internet Engineering Steering Group aprovou no dia 18 um novo código de erro. O novo código 451 significa “indisponível por razões legais e o número foi escolhido, diz-se, em função da proposta inicial que pretendia homenagear o escritor Ray Bradbury pela sua distopia de ficção científica Fahrenheit 451 (descreve uma sociedade em que os livros foram banidos pelo governo).

Há 3 anos fora proposto um novo código para as situações em que conteúdos têm de ser excluídos por terem sido considerados ilegais, quaisquer que sejam as razões invocadas pelos tribunais: censura governamental, direitos de licenciamento, privacidade, blasfémia, ameaça de segurança, etc.

O romantismo da homenagem “casou” bem com a hierarquia dos códigos HTTP. A série 400 está reservada para os diversos erros que podem ocorrer.

codigo451censuranet_02

O que sucede na web quando uma página não está disponível? O servidor produz uma mensagem de erro que fornece alguma informação, por mínima que seja, acerca das razões da indisponibilidade. Conhecidos são erros como o 500 (erro interno do servidor) e o 403 (Proibido). Mas o mais famoso será o 404 (ficheiro não encontrado).

Este tem sido mais utilizado pelas empresas e serviços que são forçados por lei a retirar páginas e, por força da mesma lei, não podem informar sobre as razões do bloqueio. Mas era contestada esta sua utilização por confundir erros normais, decorrentes das interações dentro da rede, com anomalias provocadas deliberadamente pelos homens.

Texto de: Paulo Querido/Hoje

Aprofundar

The HTTP 451 Error Code for Censorship Is Now an Internet Standard (Michael Byrne/Motherboard): Now, when an internet user hits a web page that has been blocked for legal reasons (read: censorship), they may be presented with a 451 error instead of the more generic 403 “forbidden” error. This is a win for transparency.