E pronto, a indústria já conseguiu fechar o “ Popcorn Time da música ”


 
O Shifter precisa de dinheiro para sobreviver.
Se achas importante o que fazemos, contribui aqui.

Durou apenas 2 meses. O Aurous, conhecido como o “Popcorn Time da música”, fechou esta quarta-feira portas depois de uma acção judicial da Recording Industry Association of America (RIAA), entidade que representa a indústria discográfica nos Estados Unidos.

A RIAA foi para os tribunais apenas alguns dias depois do lançamento do Aurous, argumentando que os designers da app estavam “bem cientes da violação de direitos de autor causada pelo serviço e deliberadamente queriam que isso acontecesse”.

Disponível para Windows, OS X e Linux, o Aurous era um serviço de streaming de música baseado em BitTorrent. Podias pesquisar num mar imenso de músicas aquelas que querias adicionar à tua biblioteca. Para além de torrents, o Aurous podia ir buscar conteúdos de plataformas como o SoundCloud, o YouTube ou o Spotify, através dos seus APIs públicos. A música não era descarregada para o teu computador, mas sim ouvida em streaming.

Mal apareceu em público, o Aurous foi imediatamente questionado quanto à sua legalidade. A desculpa foi a mesma do Popcorn Time: apenas era feita a ligação entre os utilizadores e os conteúdos já disponíveis online. Por outro lado, a equipa da app dizia não fazer qualquer dinheiro com o Aurous, mas o RIAA observou que a app podia ser monetizada depois, quando tivesse uma base de utilizadores mais forte, com publicidade.

O Shifter precisa de cerca de 1600 euros em contribuições mensais recorrentes para assegurar o salário aos seus 2 editores. O teu apoio é fundamental!