A Yahoo fechou o seu “YouTube”, mas (quase) ninguém reparou


 
O Shifter precisa de dinheiro para sobreviver.
Se achas importante o que fazemos, contribui aqui.

Não estamos certos se conhecias o Yahoo Screen. Era o serviço de streaming de vídeo da Yahoo, uma espécie de “YouTube” onde os internautas podiam assistir a variados conteúdos, como resumos de jogos da liga de futebol norte-americano NFL e clips do talk-show Saturday Night Live, bem como a produtos exclusivos, como a nova temporada da série Community.

A Yahoo decidiu fechar o Yahoo Screen no final do ano, removendo as respectivas apps da App Store e da Google Play. O seu conteúdo foi movido para outras propriedades da Yahoo. Por exemplo, os concertos transmitidos em directo no canal Live Nation vivem agora no portal Yahoo Music.

“Na Yahoo, estamos constantemente a rever e a refazer os nossos produtos para criarmos a melhor experiência para o utilizador”, disse um representante da empresa à Variety. “Com isso em mente, o conteúdo vídeo da Yahoo e dos nossos parceiros foi movido do Yahoo Screen para as nossas revistas digitais para que as pessoas possam encontrar conteúdo complementar num só lugar.”

ripyahooscreen_02

Na prática, a Yahoo deve ter chegado à conclusão de que a reunindo todo o seu conteúdo em vídeo num só portal fazia com que esse conteúdo passasse despercebido aos olhos dos internautas. A estratégia envolve agora organizar esses conteúdos tematicamente: vídeos de desporto no Yahoo Sports, séries originais com o Community no Yahoo TV, etc.

O Yahoo Screen foi lançado em Setembro de 2013. E apesar de, no ano passado, Community nos ter dado a ideia de que a Yahoo queria torná-lo numa plataforma relevante de vídeo, para competir com o YouTube, Netflix, Amazon e outros, eis que afinal estávamos enganados.

O Community não é a única série original da Yahoo. A empresa lançou também Sin City SaintsOther Space, duas comédias estreadas em 2015. Pelo menos para já, não há novas apostas conhecidas. Estas três apostas fizeram a Yahoo perder 42 milhões de dólares no terceiro trimestre do ano passado, conforme reporta a Variety.

Se não conseguirmos aumentar o número de patronos, a 2ª edição da revista será a última, e o Shifter como o conheces terminará no final de Dezembro. O teu apoio é fundamental!