Kodak relança a Super 8: uma câmara digital que filma em rolo


Hoje em dia já não é assim, mas a Kodak já foi em tempos um dos grandes nomes da indústria cinematográfica no que toca aos equipamentos. Uma das principais estrelas era a Super 8, uma câmara utilizada por realizadores como Steven Spielberg e J. J. Abrams durante décadas. Em pleno 2016, este equipamento mereceu novamente a atenção da Kodak, que vai vencer uma reedição no Outono.

Graças a um trabalho realizado em conjunto com o designer industrial Yves Behar, a empresar nova-iorquina desenvolveu um protótipo daquela que é lendária Super 8 – que foi descontinuada em 1982 –, combinando os elementos característicos com algumas funcionalidades mais atuais – como é o caso de um ecrã de 3,5 polegadas e um microfone integrado.

kodaksuper8_02

kodaksuper8_03

Com uma velocidade de gravação de 9, 12, 18, 24 ou 25 frames por segundo e foco manual, estas não são especificações de topo para os dias de hoje, mas mostram aquilo com que se trabalhava há uns anos no mundo do cinema.

A edição limitada da Super 8, apresentada esta semana na CES, vem também com uma entrada USB e slot microSD, elementos que certamente não existiam há umas décadas e que tornam tudo muito mais simples.

kodaksuper8_04

O preço estará entre os 400 e os 750 dólares, e caso pretendas ser mesmo vintage, podes também comprar e utilizar rolos de filmagem por um preço compreendido entre os 50 e os 75 dólares.

Para obteres acesso às imagens, a Kodak responsabiliza-se por todo o processo de digitalização.