Tal como as pessoas reais, a Barbie agora tem diferentes tipos de corpo e tons de pele


Este artigo é gratuito como todos os artigos no Shifter.
Se consideras apoiar o nosso trabalho, contribui aqui.

A Barbie é capa da TIME este mês e o motivo não é para menos. A icónica boneca sofreu um redesign e vai a partir de agora existir em 4 modelos diferentes: pequena, alta, com curvas e original. A original é aquela que todos conhecemos e as outras são o reflexo da nossa sociedade imperfeita.

A preocupação da Mattel, fabricante da Barbie, com a diversidade cultural não é nova. A fabricante norte-americana fez ao longo dos anos várias tentativas para diversificar o universo da Barbie, mas sem alterar as medidas da boneca. Em 1980, por exemplo, lançou a “Black Barbie”, uma boneca com um tom de pele escuro e com um cabelo de estilo afro. Já no ano passado, a Mattel lançou um vídeo no qual apresenta a boneca com pés flexíveis, sem saltos e em versões étnicas, mas também com o cabelo rapado ou colorido. Alterações para adaptar a boneca de 56 anos às novas tendências de mercado.

Agora, a boneca mais famosa do mundo vai ter três novas versões que pretendem ir ao encontro das medidas reais dos corpos das mulheres actuais e romper com um conceito de beleza estereotipado. Pela primeira vez, a boneca icónica, conhecida pelo longo cabelo loiro, olhos azuis e um corpo com uma perfeição irreal, vai ter três novos tipos de corpo: pequena, alta, com curvas e original.

barbiediversidade_02

Ao todo são 7 tons de pele, 22 cores de olhos, 24 estilos de penteados e inúmeras roupas modernas e acessórios. No total, há 33 novas bonecas, que começaram a ser pensadas há dois anos e que vão ser vendidas a partir deste ano. “Agora podemos parar de falar do meu corpo?” é a pergunta que surge na capa da TIME, que mostra uma Barbie com mais curvas que as da boneca original. A boneca mais diferente é a com curvas – tem ancas largas e uma barriga ligeiramente saliente.

“A Barbie é um reflexo do mundo tal como as jovens raparigas o veem hoje”, explica Richard Dickson, presidente executivo da Mattel, em comunicado. “A sua capacidade de evoluir com o tempo, permanecendo fiel ao seu espírito, é fundamental para explicar porque a Barbie é a boneca número um do mundo”, acrescenta o responsável. Para Evelyn Mazzocco, vice-presidente e diretora geral global da marca Barbie, esta aposta é uma responsabilidade. “Acreditamos que temos uma responsabilidade para com as jovens raparigas e para com os pais de refletir uma visão mais alargada da beleza”, destacou.

Ao longo de muitos anos, a Barbie foi alvo de críticas ao irrealismo do seu corpo e o molde da boneca original da Mattel mudou, mas pouco. Para algumas vozes, este reconhecimento da diversidade da beleza feminina por parte do fabricante da boneca icónica é tardio. Esta novidade poderá dar um novo impulso às vendas da boneca, que têm vindo a descer nos últimos três anos (20% entre 2012 e 2014) e continuaram a cair no último ano (2015).

A nova colecção vai chegar a Portugal no final de Março.

barbiediversidade_03

Investimos diariamente em artigos como este.
Precisamos do teu investimento para poder continuar.