‘The Birth of a Nation’: o filme do Sundance que o Netflix não conseguiu comprar


O dinheiro ainda não bate o prestígio que é estar em exibição no grande ecrã durante a altura dos prémios. Pelo menos é essa a opinião do argumentista/realizador e principal estrela de The Birth of a Nation, uma das sensações do Sundance Film Festival.

Vencedor do Grand Jury Prize e Audience Award do festival, The Birth Of a Nation conta a poderosa história de Nat Turner, um escravo que lidera um movimento contra a escravatura em 1831. De enorme valor cultural e histórico, o filme brilha na sua tentativa de call to action sobre um tema tantas vezes presente ainda nos dias de hoje.

O filme de Nate Parker não foi só uma sensação da última edição do Sundance pelo seu conteúdo, como se tornou no filme mais caro já vendido na história do Festival – mas a parte mais interessante desta história é que nem foi vendido a quem fazia a maior oferta. O Netflix tentou comprar os direitos de distribuição de The Birth of a Nation e para isso terá oferecido algo como 20 milhões de dólares. No entanto, o filme foi comprado pela Fox Searchlight, grande distribuidora de Hollywood, por um preço inferior. As razoes? O prestígio.

thebirthofanationsundance_02

De acordo com o The Hollywood Reporter, o cheque chorudo por parte do Netflix e a estreia do filme no grande ecrã no mesmo dia em que estrearia também nas plataformas online não foram argumentos suficientes contra a Fox Searchlight que, no seu contrato, prometeu a estreia do filme em altura de prémios – estamos a falar da distribuidora de 12 Years a Slave, melhor filme de 2014.

Mas as razões podem não se ficar por aqui. O recente caso #OscarsSoWhite levou a que a Academia referisse vir a dar maior relevo a possíveis nomeados “não caucasianos”. Tendo em conta este factor, os produtores de The Birth of a Nation acreditam que um filme que tanto impacto causou no Sundance não vai ficar de forma dos nomeados aos Óscares do próximo ano.