Vamos à Casa da Música ouvir cinema americano?


Este artigo é gratuito como todos os artigos no Shifter.
Se consideras apoiar o nosso trabalho, contribui aqui.

Dia 19 de Fevereiro, vamos ouvir cinema americano na Casa da Música. A Orquestra Sinfónica do Porto vai interpretar, com a direcção musical de Takuo Yuasa e o piano de João Bettencourt da Câmara, três bandas sonoras de três importantes filmes do século passado, como 2001: A Space Odyssey de Kubrick.

A profícua relação entre a primeira e a sétima arte faz com que certos filmes sejam indissociáveis das suas bandas sonoras. Da mesma forma, ao ouvirmos determinadas músicas lembramos-nos imediatamente dos filmes em que foram utilizadas.

O concerto vai começar com “Adagio” de Samuel Barber, que acompanhou o filme Platoon (1986), de Oliver Stone; continuará com “Concerto nº 2 Para Piano e Orquestra” de Sergei Rachmaninoff, fazendo-nos lembrar o drama Brief Encounter (1945), de David Lean; e terminará com “Also sprach Zarathustra” de Richard Strauss, que todos ouvimos em 2001: A Space Odyssey (1968), de Stanley Kubrick.

As obras do programa são exemplos máximos desta feliz associação entre a música e o cinema. Dos cenários apocalípticos da Guerra do Vietname, acompanhados ao som do “Adagio” de Samuel Barber, à intensa paixão proibida de Breve Encontro, à qual a música de Rachmaninoff dá um tom arrebatador, este é um programa feito de obras favoritas do grande público.

Os bilhetes estão à venda no site oficial da Casa da Música e custam entre 14 e 19 euros. Podes acompanhar o evento no Facebook.

Investimos diariamente em artigos como este.
Precisamos do teu investimento para poder continuar.