800 mil pessoas vêem a HBO sem qualquer contrato com uma operadora


 
O Shifter precisa de dinheiro para sobreviver.
Se achas importante o que fazemos, contribui aqui.

O Netflix e a HBO não são muito diferentes. Ambos têm filmes, séries e documentários próprios; e ambos disponibilizam esses conteúdos através de um serviço de streaming. A principal diferença entre os dois é que a HBO tem um canal de televisão tradicional, onde transmite esses programas num dia e num horário específicos, e o Netflix não.

Existem, claro, outras diferenças, como o facto de o Netflix estar disponível em (praticamente) todo o mundo, enquanto que o HBO Now ou o HBO Go – os serviços de streaming da criadora de Game of Thrones – estão disponíveis apenas nos EUA e numa mão cheia de países (um deles vai chegar a Espanha este ano, anunciou recentemente a empresa).

Tanto o HBO Go como o HBO Now permitem aceder a um vasto catálogo de filmes, séries e documentário da HBO. Contudo, o primeiro é uma espécie de complemento ao canal de televisão incluído gratuitamente no pacote de televisão da operadora, uma vez que só pode utilizado mediante contrato com a mesma. Já a HBO Now custa cerca de 15 dólares por mês e dá acesso aos programas da estação, bem como à transmissão em directo, sem a chatice de ter um pacote de televisão por cabo.

Nos Estados Unidos, são já 800 mil as pessoas assinam a HBO Now, isto é que, que vêem a HBO sem um contrato com operadora. A empresa norte-americana divulgou este dado durante a apresentação dos seus resultados do último ano fiscal. O serviço HBO Now foi lançado em 2015, tendo cerca de 10 meses de vida.

Em perspectiva, este número é uma fracção bem pequena do que o Netflix tem, com seus actuais 77 milhões de assinantes em todo o mundo. Mesmo assim, já é expressivo o suficiente para mostrar às empresas de TV por subscrição que é a combinação de bom conteúdo com a melhor forma de aceder ao mesmo que dita para onde o assinante vai. Dito isto, os investidores da HBO esperavam mais – na casa dos milhões de assinantes – algo que inevitavelmente será alcançado, mas com certeza seria alcançado mais rápido se o serviço fosse aberto a mais países.

O HBO Now, assim como o Netflix, podem ser “levados” para qualquer lugar, uma vez que, sendo independentes de operadora, não estão presos à TV box da sala ou do quarto.

Se não conseguirmos aumentar o número de patronos, a 2ª edição da revista será a última, e o Shifter como o conheces terminará no final de Dezembro. O teu apoio é fundamental!