A Huawei entrou na corrida dos híbridos com o MateBook


Este artigo é gratuito como todos os artigos no Shifter.
Se consideras apoiar o nosso trabalho, contribui aqui.

A Huawei está preocupada em dar aos seus clientes os melhores produtos com o melhor design. A fabricante seguiu a tradição e marcou uma conferência de imprensa no “Dia Zero” da Mobile World Congress e apresentou à imprensa a sua nova linha de produtos, que incluem o seu primeiro híbrido e muitos acessórios.

A apresentação começou com o Diretor Executivo, Richard Yu, a demonstrar uma grande preocupação com a eficácia e portabilidade dos seus equipamentos, acompanhados de um design elegante. E é precisamente aí que o MateBook entra em ação.

Semelhante a outros híbridos, este 2-em-1 funciona tanto como um tablet, coberto de de alumínio nas cores cinza ou dourado, como um laptop. O ecrã, de 12,1 polegadas, conta com uma tecnologia que melhora a saturação das cores e tem a resolução de 2160×1440 píxeis.

2_MateBook

Em termos de tamanho, estamos a falar de um tablet que pesa 640 gramas, tem 6,9 milímetros de espessura e com um screen-to-body ratio de 84%, ou seja, tem as bordas bastante finas para aproveitar o máximo do seu tamanho. Este é um valor superior ao encontrado no iPad Pro e ao Surface Pro 4.

É também na questão da autonomia que este produto de destaca. Ao contrário dos outros híbridos, os 4430 mAh do MateBook prometem dez horas longe da tomada e uma poupança 25% superior em comparação aos seus concorrentes. O carregamento é feito através da entrada USB-Type C.

Quando passa para o modo laptop, o MateBook inclui uma capa semelhante à que existe para o iPad Pro e Galaxy TabPro S, apresentado pela Samsung na CES 2016. Ou seja, tem tanto uma função protetora como também um teclado, com teclas largas mas sem qualquer espaço entre si. Numa primeira impressão, as teclas parecem mais largas do que o normal, o que facilita a escrita. O teclado é à prova de pequenos salpicos e oferece dois ângulos possíveis de utilização.

3_Matebook

Existe também um sensor de impressões digitais na lateral do produto que está constantemente pronto para ser utilizado, querendo isto dizer que não precisas de “acordar” o MateBook para reconhecer o teu dedo. A equipar tudo isto estão processadores de sexta geração da Intel – M3, M5 ou M7 -, que podem chegar a uma frequência de 3.1 GHz, um número bastante significativo para um produto da categoria e tendo em conta o que promete em termos de bateria. Existem versões com 4GB ou 8 GB de memória RAM e dis 128 aos 512 GB de SSD.

A MateDock

Um computador precisa de entradas de todo e qualquer tipo para se poder adaptar às situações. Na impossibilidade de colocar todas essas entradas no corpo do tablet, a Huawei apresentou também a MateDock. Como o próprio nome indica, trata-se de um prqueno produto que conta com entradas para o cabo Ethernet, HDMI e mais uas USB 3.0.

1_MateDock

A capa da MateDock tem também um compartimento para guardares aquilo que se pode chamar uma caneta multifunções. A MatePen, que acompanha o híbrido, tem 2048 níveis de pressão, mas funciona também como… um laser, bastante utilizado em apresentações, e também um “presentation clicker”. Com apenas um carregamento, é assegurada uma utilização durante um mês.

1_MatePen

A Huawei segue também a linha de outros híbridos e equipou o MateBook com Windows 10 e todas as suas funcionalidades, como a Cortana. Vai chegar ao mercado com um preço a começar nos 799 euros mas com o teclado (149 euros), MatePen (69 euros) e MateDock (99 euros) vendidas em separado. Feitas as contas, o “pacote total” supera os 1000 euros.

mwc16banner

Investimos diariamente em artigos como este.
Precisamos do teu investimento para poder continuar.