Documentário sobre a crise dos refugiados vence 66º Festival de Cinema de Berlim


Gianfranco Rosi foi o grande vencedor da 66ª edição do Festival de Cinema de Berlim, tendo recebido o Urso de Ouro para Melhor Filme com Fuocoammare (Fire at Sea, na versão inglesa). O documentário aborda a crise dos refugiados africanos que arriscam a sua vida ao cruzar o Mediterrâneo até Lampedusa, uma pequena ilha italiana que se tornou um símbolo da migração africana para a Europa e que é palco de constantes tragédias, como naufrágios de embarcações precárias.

Durante um ano, o realizador italiano (vencedor do Leão de Ouro de Veneza em 2013, por Sacro GRA) capturou e contou a história da realidade quotidiana da população local, e a reacção da mesma perante a chegada de 150.000 refugiados à sua costa.

Um dos focos de Fuocoammare é a visão desta realidade através dos olhos de uma criança de Lampedusa, Samuele, de 12 anos, que assiste à tentativa de milhares de homens, mulheres e crianças em chegar desesperadamente à ilha.

Esta escolha por parte do júri do festival, presidido por Meryl Streep, segue a tradição de celebrar filmes de consciencialização social. Esta edição foi descrita como um tributo aos refugiados e, nas palavras de Dieter Kosslick, director do festival, “muitos dos filmes nomeados louvam actos de humanidade em tempos de conflito internacional.”

É a primeira vez em seis décadas que um documentário leva o principal prémio do certame. Rosi espera que tal feito ajude a sensibilizar as pessoas sobre um assunto tão sensível e actual como é a crise dos refugiados, e dedicou-o àqueles que não conseguiram atravessar o mediterrâneo à procura de uma nova oportunidade e aos habitantes da ilha de Lampedusa que acolhem da melhor forma que podem os que ali chegam todas a semanas.

É importante recordar que a Alemanha tem sido dos países com uma maior reacção face à política de acolhimento de refugiados, tendo levado à entrada de 1,1 milhões de pessoas só em 2015. A distinção da obra de Rosi, de certa forma, acaba por seguir essa linhagem política e interveniente.

Fuocoammare chegará às salas de cinema portuguesas em 2016, com distribuição garantida pela Leopardo Filmes, de Paulo Branco.

Recordamos que a realizadora portuguesa Leonor Teles venceu o Urso de Ouro da competição de curtas-metragens, pelo filme Balada de um Batráquio. Foi a mais jovem vencedora de sempre a receber um Urso de Ouro.

No site do festival podem ver a lista completa dos filmes premiados nas diversas categorias.

Texto de: André Calado
Editado por: Rita Pinto