Jake Bugg anuncia álbum para Junho (e lança primeiro single agora)


 
O Shifter precisa de dinheiro para sobreviver.
Se achas importante o que fazemos, contribui aqui.

A 17 de junho Jake Bugg, lança o seu muito aguardado novo álbum, On My One”, o qual será apresentado pelo explosivo primeiro single, “Gimme the Love”, uma mistura viciante entre a guitarra característica de Bugg com batidas funky.

O título deste álbum é um ditado que se diz na cidade natal de Jake Bugg, Nottingham, e que quer dizer fazer as coisas por si próprio, o que vai ao encontro da natureza deste disco. “Vi isto como o passo lógico no meu desenvolvimento enquanto compositor. Foi um desafio, mas era algo que sentia que tinha de ser feito”, diz o músico em comunicado.

Jake Bugg compôs as 11 canções deste novo álbum, tocou quase todos os instrumentos e produziu a sua maioria (Jacknife Lee produziu três temas). Os resultados são surpreendentes. Depois do grande sucesso dos seus dois primeiros álbuns, o duplamente platinado Jake Bugg (2012) e o seu sucessor, Shangri La (2013), chega agora este novo On My One, que afirma Jake Bugg como um dos mais entusiasmantes talentos do Reino Unido da actualidade.

Gravado entre Londres, Los Angeles e Nottingham, são muitos os destaques deste novo álbum, como a comovente “Love Hope and Misery”, com o seu refrão impactante, “Bitter Salt” ou a soulful “Never Wanna Dance” e, claro, o tema que dá título ao disco.

Em toda a sua diversidade, o “coração” deste On My One está na música blues. “Os blues são o meu género preferido”, admite Jake. “Quer seja soul ou hip hop, tudo vem dos blues. Para mim os blues significam somente poder cantar as minhas emoções e expressar a minha dor, para que outros também possam sentir algo. Essa é a beleza da música. Gostaria de pensar que consegui fazer isso neste disco.”

Gravar três álbuns com apenas 21 anos não é um feito banal. Mas conseguir criar sozinho um álbum como On My One, atravessando com naturalidade géneros como os blues, a pop, o rap, a folk, a soul e a música country é prova de um talento para a composição de canções verdadeiramente notáve

Se não conseguirmos aumentar o número de patronos, a 2ª edição da revista será a última, e o Shifter como o conheces terminará no final de Dezembro. O teu apoio é fundamental!