Marrocos: Inaugurada primeira fase da maior central de energia eléctrica


Este artigo é gratuito como todos os artigos no Shifter.
Se consideras apoiar o nosso trabalho, contribui aqui.

Depois de anunciar o investimento num megaprojecto solar, a primeira fracção de painéis em Marrocos, daquela que será a maior central termo-solar do mundo, já está a funcionar.

Ouarzazate, cidade a sul de Marrocos conhecida como “porta do deserto”, vai ter a capacidade para abastecer 1 milhão de casas e reduzir as emissões de dióxido de carbono em 760 mil toneladas por ano, até 2018. A construção desta rede de paineis solares teve um custo de 765 milhões de dólares, o equivalente a 686 milhões de euros.

A instalação está dividida em três partes distintas: Noor I, Noor II e Noor III. A primeira já se encontra em funcionamento e tem uma capacidade para gerar 160 megawatts. As restantes serão inauguradas progressivamente até 2018 e, no total, vão gerar uma energia de 580 megawatts.

marrocosestacaosolar1_02

O complexo utiliza energia solar concentrada, mais cara de instalar comparativamente aos painéis fotovoltáicos, mas permite o armazenamento de energia para ser utilizada durante a noite e em dias nublados.

Contém 500 mil espelhos com 12 metros de altura que aquecem um fluído até, aproximadamente, 400 graus centígrados, que, por sua vez, aquece água, recorrendo ao vapor para girar as turbinas e gerar energia eléctrica.

A importação de combustíveis fósseis representa 97% das necessidades energéticas de Marrocos. A ideia é reduzir a dependência destas fontes e aumentar a produção de energias renováveis dos actuais 13% para 42%.

Investimos diariamente em artigos como este.
Precisamos do teu investimento para poder continuar.